Alexey Lutsenko brilha na Coppa Sabatini e Grosu vence na Eslováquia

Mais um dia de ciclismo, com várias provas a serem realizadas no dia de hoje. Estamos na altura das clássicas italianas e a Astana quis deixar desde já a sua marca, com uma grande exibição de Lutsenko.

A Coppa Sabatini ou Gran Premio Città di Peccioli correu-se na província de Pisa, na região Toscana italiana, com 195,9 kms de extensão. O início seria marcado por um circuito com três voltas de 21,7 quilómetros e no final seriam seis voltas de 12,2 kms, no circuito que levava os ciclistas até à meta, com o quilómetro final a ser em subida com 6,5% de inclinação média.



A prova foi marcada por uma fuga de 16 homens desde o quilómetro zero, com Alexey Lutsenko e o último vencedor da Volta a França, Egan Bernal, ambos incluídos. Lá atrás no pelotão eram várias as equipas a tentarem chegar aos escapados, principalmente a Bahrain-Merida que pretendia levar Sonny Colbrelli à vitória final.

Lutsenko separou-se do grupo fugitivo quando ainda faltavam mais de 30 quilómetros para o final, e manteve sempre um ritmo que lhe permitiu obter uma vantagem confortável sobre quem vinha atrás. Houve várias tentativas para alcançar o cazaque, mas nunca obtiveram êxito. No final, Lutsenko teve tempo para respirar, levantar os braços e comemorar mais uma vitória nesta temporada. Ele que alcançou o seu nono triunfo da época!

Em segundo lugar terminou Sonny Colbrelli, com 1m:03s de atraso, alcançando pela terceira vez consecutiva o segundo lugar nesta prova. Ele que já venceu a prova no ano de 2014 e em 2016. Para fechar o pódio, Simone Velasco (Neri Sottoli) acabou na terceira posição, a 1m:04s de Lutsenko.



Na Volta à Eslováquia tivemos um ciclista romeno como protagonista, de seu nome Eduard Grosu. Com a chegada a Ruzomberok e após 226,6 kms esperava-se uma chegada ao sprint e assim foi. Contudo, o final era em ligeira subida e muito técnico, sendo que um bom posicionamento nos últimos 500 metros seria fulcral para o sucesso.

Rémy Rochas, Idar Andersen e Martin Salmon marcaram a fuga do dia. O pelotão manteve sempre uma margem controlável de tempo e com o trabalho da Bora-Hansgrohe e da Deceuninck-Quick-Step a fuga foi anulada quando ainda faltavam 20 kms para o fim.

No final, após um dia de muito frio e chuva, Grosu atingiu o quarto triunfo do ano, batendo Yves Lampaert e Arnaud Démare, segundo e terceiro respetivamente. Com este resultado, o belga Lampaert destrona Stefan Kung do primeiro lugar da classificação geral, ele que estava no segundo posto a três segundos do suiço e vê agora os papéis inverterem-se. Amaro Antunes terminou na 34ª posição com o mesmo tempo do vencedor e após ter subido 14 lugares, encontra-se agora no 20º lugar da geral. Com isto, ficam a faltar apenas duas etapas para o final da competição.


Na França, no Tour de l`Ardèche, a supremacia de Marianne Vos continuou. A holandesa de 32 anos teve uma exibição sublime nesta prova, conquistando cinco das sete etapas! Hoje na última etapa da prova, com muita montanha, venceu isolada, com 33 segundos de avanço para Nikola Nosková e 1m:40s para Arlenis Sierra. Na geral individual, Marianne Vos fechou em primeiro lugar sem qualquer tipo de contestação, com 6m:07s para a segunda classificada, Clara Koppenburg e 8m:02s para Eider Merino que fechou no terceiro lugar.

 

Foto de capa: BettiniPhoto

 

 

, , , , , , , , , ,