Astúcia vale triunfo a Zdenek Stybar

Após a etapa rainha, os sprinters voltavam a sorrir já que tinham nova oportunidade de discutir a vitória, com a chegada ao Autódromo El Villicúm. Jokin Aranburu Arruti, Veljko Stojnic e Christofer Jurado foram os primeiros escapados do dia, durando meia etapa na frente, uma vez que a 80 quilómetros da chegada, a Bora-Hansgrohe aproveitou o vento para provocar cortes no pelotão.



Com os principais ciclistas na frente, o pelotão voltou a desacelerar, o que levou a que nova fuga se formasse. Desta vez, surgiram Mirco Maestri, Laureano Rosas, Andrea di Renzo e Augustin Fraysse. Esta escapada viu a equipa dos sprinters nunca dar mais de 1 minuto, sendo anulada a 18 quilómetros da chegada. A partir daí, foram várias equipas que apareceram na frente, mantendo o ritmo elevado.

A entrada no Autódromo, a menos de 5000 metros do fim, foi feita a alta velocidade, com o Tavira/Maria Nova Hotel a surgir na frente com Alejandro Marque a trazer César Martingil muito bem colocado. Pouco depois, surgiu a Israel StartUp Nation, impondo um ritmo muito forte, alongando, ainda mais, o pelotão, muito por culpa da curva e contra-curva natural do circuito.



Já bem dentro do quilómetro final, e aproveitando a desorganização, Zdenek Stybar atacou, abriu um pequeno espaço, que nunca mais foi fechado. Cerrando os dentes, o checo da Deceuninck-QuickStep escapou para a vitória à frente de Juan Sebastian Molano e Rudy Barbier. Peter Sagan foi apenas 6º à frente de Alvaro Hodeg, sendo que Fernando Gaviria não se conseguiu imiscuir entre os 10 melhores. Remco Evenepoel chegou na frente e segue na liderança, antes da derradeira etapa.



, , , , , , , , , , , , , , ,