Dylan Groenewegen arrasa concorrência em De Panne

O regresso às clássicas belgas foi feito com uma clássica relativamente tranquila, não muito movimentada e talhada para os sprinters. Desde cedo destacaram-se Jasha Sutterlin, Stan Dewulf, Jimmy Janssens, Senne Leysen, Adrien Garel e Mathijs Paasschens. Jordi Warlop ainda tentou fazer a ponte, mas sem sucesso. Nas poucas subidas do dia, a meio da corrida, vimos de forma algo inusitada, alguns sprinters ao ataque, nomeadamente Fernando Gaviria, Edward Theuns, Marco Haller, Danny van Poppel e Lukas Postlbeger.




Este quinteto ainda teve cerca de 1 minuto de avanço, mas acabaria capturado pelo pelotão 30 kms depois. A fuga original entrou nos 40 kms finais com 2:12, com as equipas dos homens rápidos a controlarem as operações. Já dentro dos últimos 20 kms a escapada foi apanhada e a Team Sky forçou muito o ritmo, tentando provocar cortes, sem grande sucesso.

A 10 kms da meta uma queda colectiva num estreitamento de queda afastou muitos ciclistas da luta, inclusivamente Pascal Ackermann. A preparação do sprint foi muito confusa, com Elia Viviani a acabar numa posição perfeita, lançado por Michael Morkov. O campeão italiano arrancou decidido, só que desta vez não teve pernas para um fulminante Dylan Groenewegen, que ganhou diante de Fernando Gaviria e Elia Viviani.




, , , , ,