Final caótico termina com vencedor surpresa

Também na Bélgica foi dia de ciclismo, com o Tour de l’Eurométropole, uma clássica que está no calendário desde 2016, depois de ser uma prova por etapas, anteriormente denominada por Circuito Franco-Belga. Hoje foi dia de ver, pela primeira vez, Mads Pedersen com a camisola do arco-íris vestida. Pouco mais de 176 quilómetros que viram a corrida decidir-se ainda longe da meta.



O vento fez-se sentir durante grande parte do dia e, ainda com mais de 80 quilómetros por disputar, aconteceu o corte decisivo. Na frente ficaram 32 ciclistas, incluindo quase toda a equipa da Deceuninck-QuickStep, o que significava que esta podia ser a movimentação decisiva.

Vários foram os ataques e contra-ataques, incluindo a própria equipa belga a colocar ciclistas na frente, como Petr Vakoc mas tudo se decidiu ao sprint. Jannik Steimle, estagiário da Deceuninck-QuickStep, ganhou alguma vantagem numa parte técnica a 1500 metros do final, entrou na frente do derradeiro quilómetro mas um trabalho exemplar de Oliver Naesen viu o alemão ser alcançado já na reta da meta.



Antes, a viragem para a reta da meta viu outro momento importante pois aí aconteceu a queda de Alvaro Hodeg, que era o grande favorito. O colombiano embateu nas barreiras e ficou muito mal tratado, tendo sido transportado para o hospital. Na frente, Florian Senechal foi o primeiro a arrancar mas de trás veio, muito rápido, Piet Allegaert para conquistar a sua primeira vitória da carreira e, também, a primeira vitória da temporada para a sua equipa, a Sport Vlaanderen-Baloise. Senechal terminou em 2º, com o 3º posto a ficar para Jasper Stuyven.

, , , , , ,