Fundão vê Daniel Mestre ganhar a etapa e vestir de amarelo

Hoje os ciclistas tinham de cumprir quase 200 quilómetros entre Manteigas e o Fundão, um longo dia com um percurso bem acidentado. Com uma meta volante logo nos primeiros 30 quilómetros e a sensação que as bonificações podem decidir a corrida, o Aviludo-Louletano controlou a pensar nos 3 segundos de bonificação que foram conquistados por Vicente de Mateos, à frente de Joni Brandão e de Frederico Figueiredo.




Foi logo a seguir, na subida para a Guarda, que se estabeleceu um ataque muito perigoso, com David Rodrigues, Henrique Casimiro e Nikolay Mihaylov. O duo da Efapel conseguiu deixar o ciclista da Rádio Popular-Boavista para trás e avançou de forma decidida, chegando a uma vantagem de 7 minutos, enquanto nenhuma equipa pegava de forma mais decidida no pelotão.

Foi a equipa do líder, a Israel Cycling Academy, a assumir as despesas da corrida e a capturar o duo da Efapel, que após garantir a camisola da montanha também se deixou descair. Depois fugiram Kirill Sveshnikov e Hugo Nunes, com o ciclista português a deixar para trás o russo a 35 kms da meta. Nas dificuldades não categorizadas mais perto da chegada voltou a haver ataques, Joni Brandão e Luis Fernandes chegaram a ter uma vantagem considerável, sendo apanhados dentro dos 15 kms finais.

O mesmo aconteceria a Hugo Nunes, com a feroz perseguição no grupo principal, e a 8 kms da meta havia pelotão compacto e tudo parecia apontar para mais um sprint. Foi isso mesmo que aconteceu nas ruas do Fundão, hoje Daniel Mestre lançou o seu sprint de longe e foi o mais forte, diante de Vicente Garcia de Mateos e do anterior líder Edwin Avila. O novo líder é precisamente Daniel Mestre, que graças às bonificações amealhadas nos sprints intermédios tem agora 4 segundos sobre Vicente de Mateos.

Foto: FPCiclismo



, , , , , , , , ,