Neste dia em … 2014 – Degenkolb supera concorrência de luxo em Wevelgem

Continuamos a recordar antigas edições da Gent-Wevelgem e depois de ontem o dia ter sido uma tormenta para todos os ciclistas, com o vento a ser um grande inimigo, recuamos, ainda mais no tempo, para a edição de 2014. A E3 Harelbeke tinha sido há 2 dias, com o inevitável Peter Sagan a vencer e por isso, o eslovaco era o grande candidato a vencer em Wevelgem.



Um dia com boas condições para a prática da modalidade que teve uma fuga não muito numerosa. O pelotão passou por França, pelo famoso Mont Cassel, subida chave dos Quatro Dias de Dunquerque, antes de regressar a terras belgas e às ofensivas no pelotão.

Foi o Kemmelberg a fazer as diferenças no pelotão, primeiro com um pequeno grupo de menos de 10 elementos a sair, onde estavam nomes como Fabian Cancellara, Peter Sagan e Tom Boonen. Faltava apenas o Monteberg e, com mais de 30 quilómetros para a chegada, o reagrupamento foi inevitável, já depois desta última subida.

Stijn Devolder, Silvan Dillier e Andrey Amador ainda tentaram surpreender os sprinters, no entanto este trio não teve tarefa fácil já que Cannondale, Giant-Shimano e Omega Pharma-QuickStep queriam levar os seus homens rápidos à vitória. Isso foi conseguido a menos de 2 000 metros da chegada.



Uma queda marcou o sprint final mas isso não impediu os principais galos de discutir o triunfo. A Katusha fez o lançamento para Alexander Kristoff, Peter Sagan foi o primeiro a arrancar, talvez cedo demais, John Degenkolb saiu no momento certo, conseguindo uma vitória apertada à frente de Arnaud Demare, que arrancou um pouco tarde, pois a ponta final do francês foi muito forte. Sep Vanmarcke foi 4º e Tom Boonen 5º, num top-5 de grande nível.

Este foi o continuar de uma Primavera muito positiva de John Degenkolb. Para trás estavam 4 triunfos, incluindo um no Paris-Nice. Este triunfo foi muito motivador para o alemão que, com isto, motivou-se para um 2º posto no Paris-Roubaix e outro 2º na Eschborn-Frankfurt. Esta foi a melhor fase da carreira de Degenkolb, só superada por 2015, antes do trágico acidente de que foi vítima no início de 2016.



, , , , ,