Roglic ganha de novo em Itália e mostra-se pronto para o Giro di Lombardia

Mais um dia de corrida animada em Itália na preparação do Giro di Lombardia, a Tre Valli Varesine apresentava um circuito novo este ano e os ataques começaram de longe. A cerca de 50 kms da meta quando Michael Gogl e Davide Ballerini, os últimos resistentes da fuga do dia, foram alcançados, houve várias mexidas, começadas por Tim Wellens. Isso resultou num selecto grupo de 15 unidades a escapar-se, com grandes nomes como Dylan Teuns, Michael Woods, Alejandro Valverde, Daniel Martin, Diego Ulissi, entre muitos outros.




No meio da indefinição Foi Luis Leon Sanchez quem entrou isolado nos 20 kms finais, o ciclista da Astana tinha atacado. A situação de corrida mudou quando o 1º grupo perseguidor se enganou no percurso, os ciclistas que estavam nesse grupo perderam qualquer hipótese de discutir a corrida. Continuou ao trabalho lá atrás a Jumbo-Visma e teve a ajuda da Ineos, com o espanhol a ser quase apanhado a 5 kms do final.

No entanto Luis Leon Sanchez resistiu de forma incrível e entrou nos 1000 metros finais com 8 segundos de avanço. As mexidas começaram e a vantagem rapidamente se esfumou com o ataque de Gianni Moscon, seguido no imediato por Fuglsang e Latour. Roglic fez a ponte, aproveitou o embalo e destacou-se sem resposta dos restantes para somar mais um triunfo nesta final de época.




O sprint pelo 2º posto foi ganho por Giovanni Visconti, que superou Toms Skujins e Andrea Vendrame.

, , , , ,