“Sou o homem mais feliz do Mundo, ser útil para os outros não tem preço”

Uma história impressionante e que mostra a solidariedade de alguns neste tempo de crise. O italiano Davide Martinelli, ciclista da Astana, tem estado a trabalhar (e pedalar ao mesmo tempo) como voluntário na entrega de medicamentos e alimento aos mais idosos. A história é relatada hoje no tuttobiciweb.




Davide Martinelli vive numa vila chamada Lodetto, e os habitantes de Lodetto têm de deslocar-se a Rovato para comprar a maioria dos bens essenciais. Portanto, Martinelli  juntou-se a um grupo local que se desloca quando é necessário a Roveto, trazendo esses bens essenciais de bicicleta e com todos os cuidados necessários.

“Sinto uma grande ligação a esta comunidade, Lodetto tem apenas 1 500 habitantes e infelizmente não tem farmácias ou super-mercados. Pensei para mim mesmo: é a minha oportunidade de me tornar útil e retribuir a todos aqueles que me apoiaram até agora, aqueles que estão a precisar agora”, refere o italiano de 26 anos.




O italiano percorre 10 kms, 20 no percurso de ida e volta, o que não é muito para um ciclista profissional e utiliza todos os cuidados necessários, como luvas e máscara. Nas declarações ao tuttobiciweb, há uma que fica na cabeça, “Sou o homem mais feliz do Mundo, o ciclismo é bonito, tudo é bonito, mas ser útil para os outros não tem preço”.

, , , ,