À terceira foi de vez para Pascal Ackermann

Depois de dois dias planos, as colinas mais sérias apareceram no Tour of Guangxi, dificultando a vida aos sprinters presentes no entanto, apesar das dificuldades, a etapa decidiu-se entre os homens rápidos que tinham conseguido sobreviver. Para trás, ficou uma fuga de 3 elementos, composta por Brian Van Goethem, Nicolas Dlamini e Jacopo Mosca.



No pelotão, foi sempre a Mitchelton-Scott a trabalhar, conseguindo anular a escapada ainda a 35 quilómetros da chegada. A Astana ainda forçou o ritmo na penúltima passagem mas o grande grupo voltou a juntar-se. Matteo Trentin aproveitou o sprint intermédio para somar 3 segundos de bonificação, com Davide Villella a conseguir 1.

A última passagem, a apenas 5500 metros do fim, foi bastante atacada, com Guillaume Martin e Petr Vakoc a conseguirem uma pequena vantagem no entanto o trabalho da formação australiano conseguiu anular a fuga destes dois perigosos ciclistas.



Confiando inteiramente em Trentin, a Mitchelton-Scott fez as últimas curvas na frente, um lançamento exemplar para Trentin mas na sua roda vinha o líder Pascal Ackermann que, com relativo à-vontade, conseguiu a vitória que lhe escapou nos 2 primeiros dias. Para o 2º lugar, ainda sprintou o jovem Alexandr Riabuschenko, com o antigo campeão europeu a terminar em 3º. Com este triunfo, Ackermann reforçou a liderança da prova. Ivo Oliveira foi 119º.

, , , , , , ,