Ackermann supersónico estreia-se a ganhar nas Grandes Voltas

A primeira etapa em linha do Giro 2019 começou com muita chuva que caía na zona de Bolonha, algo que se previa para o dia de ontem mas que só aconteceu após a etapa terminar. Ainda debaixo de chuva se formou a fuga do dia, com Francois Bidard, Marco Frapporti, Mirco Maestri, Lukasz Owsian, Sean Bennett, Damiano Cima, Giulio Ciccone e William Clarke.



Como seria de esperar, as equipas da Deceuninck-QuickStep, Lotto Soudal, Bora-Hansgrohe e UAE Team Emirates apareceram desde logo na frente, nunca deixando a escapada ganhar mais de 4 minutos e meio, tentando evitar surpresas desagradáveis logo no início da competição.

À entrada dos 50 quilómetros finais, quando se entrava na fase mais dura, com as duas subidas categorizadas, a fuga tinha pouco mais de 2 minutos de vantagem. Na frente, aproveitando a dureza, Giulio Ciccone foi deixando para trás alguns dos seus rivais, sendo que após a contagem de montanha apenas estavam na companhia do italiano Frapporti, Bidard e Owsian.

Este grupo manteve-se unido na segunda subida, onde Ciccone também passou na frente. O pelotão, aos poucos, ia-se aproximando, com a diferença a ser de 30 segundos a 20 quilómetros do fim. A 7 quilómetros do fim, depois de muito trabalho da Bora-hansgrohe, a fuga foi alcançada.



Já habitual nestas primeiras etapas, a confusão era evidente, com várias equipas a aparecerem na frente. Foi a Bora-hansgorhe a entrar na frente no quilómetro final, aparecendo depois a Lotto-Soudal. Jasper de Buyst fez um lançamento exemplar para Caleb Ewan só que detrás apareceu Pascal Ackermann supersónico para conseguir a vitória. O campeão alemão bateu Elia Viviani e o australiano da Lotto-Soudal. Fernando Gaviria e Arnaud Demare completaram o top 5. Primoz Roglic chegou integrado no pelotão e mantem a liderança do Giro.




, , , , , , ,