Antevisão da 11ª etapa do Giro

Mais uma maratona neste Giro, a última antes da chegada da montanha e a derradeira oportunidade para muitos ciclistas.



 

Percurso

A organização conseguiu um feito incrível, encontrou terreno para 221 kms sem alguma colina depois de 145 kms também planos hoje e a recta final tem 2800 metros, não há muito para analisar nesta tirada.

 

Favoritos

Não há muito a dizer. Mais um dia totalmente plano, com uma longa reta da meta, num final ainda mais simples que o de hoje, o que favorece os ciclistas mais fortes.

Após tudo o que aconteceu no dia de hoje, Arnaud Demare tem que ser considerado o grande favorito. Com um sprint tão longo e tão forte, o francês não deu hipótese à concorrência. A chegada de amanhã é parecida e o francês parte cheio de confiança, ainda por cima após um trabalho fantástico da sua equipa.



Apesar da etapa totalmente plana, a longa quilometragem também favorece Caleb Ewan que, como se viu hoje, não tem a ponta final dos seus rivais em etapas mais curtas. Também o final em ligeira subida são boas notícias para o “Pocket Rocket” que deve estar bastante contente com Jasper de Buyst que, no final de hoje, fez um lançamento muito bom.

 

Outsiders

Elia Viviani continua a bater na trave e parece cada vez mais impossível o campeão italiano conseguir uma vitória. Hoje nunca esteve perto de bater Demare mas pareceu melhor que nos últimos dias, apesar de ainda estar longe daquilo que pode mostrar. O seu comboio não tem funcionado e o saltar de roda em roda tem custado alguma energia a Viviani.

Numa etapa normal, Pascal Ackermann seria, sem sombra de dúvidas, um dos grandes favoritos, mas após a queda de hoje amanhã pode ser um dia penoso. É verdade que as lesões não são graves, mas o dia será muito mas muito longo para o campeão alemão. Rudiger Selig vai ser, mais uma vez fundamental, e, em condições normais, Ackermann tem tudo para conseguir mais um triunfo, resta saber se está recuperado.

Giacomo Nizzolo começa a aparecer aos poucos e hoje voltou a ser 5º. O sprinter da Dimension Data não tem a ponta final de outrora mas ainda se sabe posicionar bastante bem e, com o final em ligeira subida, tem boas notícias para se aproximar ainda mais da ponta final dos seus rivais.



 

Possíveis surpresas

Um sprint em ligeira subida é do agrado dos italianos Davide Cimolai e Manuel Belletti. Os italianos conseguem colocar-se muito bem, costumam obter bons resultados neste tipo de etapas e, no meio da confusão, podem conseguir um resultado muito positivo. Simone Consonni caiu no dia de hoje mas não parece nada de grave, ele que ainda não apareceu depois do abandono de Fernando Gaviria. É exímio no posicionamento e pode almejar os primeiros lugares. O final em ligeira subida não favorece Jakub Mareczko mas a longa reta são boas notícias já que terá mais tempo para se posicionar e, solucionar o seu calcanhar de Aquiles. A Nippo parte com duas opções, Giovanni Lonardi e Juan José Lobato, num sprint que se adapta mais ao italiano que conta já com alguns top 10.

 

Super-jokers

Os nossos super-jokers são Paolo Simion e Jenthe Biermans.



, , , , , ,