Ataque tardio vale triunfo a Gregor Mülhberger

Fim de semana decisivo no Binck Bank Tour, com a primeira etapa mais dura a ser disputada na zona de Limburgo. Após muitos ataques e tentativas de fuga, Matthias Brandle, Nick van der Lijke, Frederik Backaert e Alexis Gougeard conseguiram escapar ao pelotão. Este quarteto chegou a ter 5 minutos de vantagem, no entanto as equipas dos favoritos não queriam ser surpreendidas e começaram, desde logo, a retirar tempo, anulando a escapada a 45 quilómetros do fim.

Desta forma, a anarquia apareceu no pelotão, com muitos ataques, sendo que Maciej Bodnar e Timo Roosen foram aqueles que tiveram maior liberdade. Este duo chegou a ter quase 1 minuto de vantagem, mesmo com o trabalho de equipas como BMC e Quick-Step. À falta de 20 quilómetros ainda estavam com esta vantagem, no entanto o aparecimento do quilómetro de ouro levou a ataques entre os favoritos.

Tim Wellens, Jasper Stuyven e Yves Lampaert ganharam alguma vantagem ao pelotão, a quem mais tarde se juntaram Michael Matthews e Greg van Avermaet. Este grupo de luxo rapidamente chegou à frente de corrida no entanto não colaborava entre si.

A 10 quilómetros do fim, Tim Wellens lançou-se ao ataque, mas nunca ganhou muita vantagem. Os ataques continuavam no pelotão, com Maximilian Schachmann, Dylan van Baarle, Zdenek Stybar e Gregor Mülhberger a juntarem-se ao belga. A vantagem era pouca mas Schachmann dava tudo em prol de Stybar.

Numa pequena hesitação, Mülhberger aproveitou para atacar, com os restantes membros da fuga a ficarem a entreolhar-se. Schachmann voltou ao trabalho mas já era tarde, com o austríaco da Bora-hansgrohe a conseguir uma fantástica vitória. A 3 segundos chegou o grupo perseguidor, com Wellens e Stybar a conseguirem importantes bonificações. Avermaet e Kragh Andersen chegaram a 8 e o grupo dos favoritos a 11 segundos, onde estava Matej Mohoric, que mantém a liderança.

 Team Italy Authentic Jersey ufficialairmaxscarpe

, , , , ,