Caleb Ewan autoritário vence na chegada a Bursa

Dia para a etapa mais longa da Volta a Turquia, com a etapa a chegar perto dos 200 quilómetros. Muito frio à partida em Balıkesir mas nem isso impediu a fuga de se formar nos primeiros quilómetros com Thimo Willems, Ferit Samli, Lucas de Rossi, Maurício Moreira e Ander Barrenetxea.



Com tantos quilómetros pela frente, pela primeira vez viu-se uma fuga ganhar larga vantagem, chegando a ter mais de 8 minutos, sendo que no pelotão Lotto-Soudal, Dimension Data e Bora-Hansgrohe perseguiam a fuga. Fuga esta que ia perdendo elementos, primeiro Willems, que depois de passar em 1º na contagem de montanha ficou para trás, acontecendo o mesmo a Samli, depois de passar em 1º no sprint das Belezas Turcas.

A partir daí, a monotonia foi maior, com a escapada a ser alcançada a pouco mais de 12 quilómetros da chegada, com De Rossi e Barrenetxea a serem os últimos resistentes. O nervosismo apoderou-se no pelotão, com muitas equipas a aparecer na frente, tentando deixar os seus líderes bem posicionados antes da subida final.



A Astana entrou à morte na subida, impondo um ritmo bastante forte, passando a ser a Bora-Hansgrohe até surgir um ataque de Mauro Finetto, o que levou a Astana a assumir as despesas de perseguição. Dentro do quilómetro final, já com Finetto alcançado, Eduard Grosu colocou-se na frente, talvez cedo demais e, a 300 metros arrancou Juan José Lobato que ganhou rapidamente uma vantagem considerável. Parecia que o espanhol iria para a vitória mas Caleb Ewan saiu que nem uma flecha da roda de Sam Bennett, que por sua vez demorou a arrancar, para conseguir a vitória à frente do espanhol e do irlandês, que mantém a liderança da Volta a Turquia. Edgar Pinto foi o melhor da W52-FC Porto, terminando no 16º lugar, o que o mantém no 8º lugar da geral.





, , , , , , ,