Dominante Sam Bennett bisa em Oviedo

As etapas mais acessíveis estavam de regresso com o pelotão da Vuelta a começar sem Domingos Gonçalves, que não partia para a etapa devido a problemas gástricos. Aos 15 quilómetros de etapa já estava formada a fuga com Salvatore Puccio, Harm Vanhoucke, Silvain Dillier, Stephane Rossetto, Luka Pibernik e Diego Rubio.




Sabendo das poucas oportunidades que os homens rápidos têm, as suas equipas poucas hipóteses deram à fuga, nunca lhes dando mais de 2 minutos. Trek-Segafredo, Mitchelton-Scott, UAE Team Emirates e Deceuninck-QuickStep foram eram as equipas que mais passavam pela frente, fazendo, sempre um controlo apertado. A 60 quilómetros da chegada, Rossetto ficava para trás na fuga, deixando a escapada reduzida a 5 elementos.

A fuga terminou a 4500 metros depois de um grande trabalho da Deceuninck-QuickStep. Nesse momento apareceu a Bora-hasngrohe, levando o pelotão até à entrada do quilómetro final, altura em que a estrada começava a empinar e acontecia uma grande queda no pelotão que levava ao chão ciclistas como Alejandro Valverde, Luka Mezgec e Tadej Pogacar.



Após a parte mais dura, a ainda cerca de 500 metros do fim, Tosh van der Sande atacou com Maximiliano Richeze a responder. Sam Bennett fez o mesmo e estes três ganharam alguma vantagem para o restante grupo. Bennet saiu a 300 metros da chegada e conseguiu uma vitória incrível com uma facilidade tremenda à frente de Richeze. Van der Sande chegou já a 2 segundos com Marc Sarreau a ser 4º a já 5 segundos.

, , , , , , ,