Søren Kragh Andersen vence “novo” Paris-Tous com ataque de longe

Dia para mais uma edição do Paris-Tours, desta vez muito diferente do habitual já com foram introduzidas mais subidas e setores de gravilha no percurso, numa prova que era amiga dos sprinters. Na corrida de despedida, Sylvain Chavanel meteu-se na fuga do dia, na companhia de Bernhard Eisel, Thibault Guernalec, Brian van Goethem, Dries de Bondt e Emiel Vermeulen.



Com o pelotão controlado pelas equipas da AG2R e Quick-Step, a fuga nunca teve mais de 5:30. O cenário de corrida manteve-se inalterado até aos 50 quilómetros finais, altura em que começavam os setores de gravilha e a fuga era apanhada. Aí, o pelotão começou a partir-se, ficando na frente cerca de 40 ciclistas.

Niki Terpstra foi o primeiro dos favoritos a atacar, levando consigo Sep Vanmarcke, Philippe Gilbert, Jelle Wallays, Pascal Eenkhoorn e Valentin Madouas. Gilbert furava e perdia muito tempo, tal como Wallays. Este grupo era alcançado mais à frente e era a vez de Soren Kragh Andersen lançar-se na ofensiva.



Vendo o perigo que era, Terpstra conseguiu, rapidamente fazer a ponte, sendo que num dos setores de gravilha Benoit Cosnefroy saiu do grupo perseguidor também para se juntar à frente. Mais atrás, Naesen, Madouas e Vanmarcke formavam um grupo perseguidor, que estava já a 30 segundos. A 1 minuto, outro grupo, onde Demare e Gilbert eram os nomes mais conhecidos, sendo que também José Gonçalves por lá estava.

A 11 quilómetros do fim, Soren Kragh Andersen atacava na frente de corrida, sem resposta dos seus adversários. O dinamarquês parecia ir lançado para a vitória, já que abriu logo uma boa vantagem para o grupo perseguidor, com o grupo Naesen a estar já a 1 minuto. Entretanto, Gilbert e Benoot, que tinham furado durante a prova, atacavam e chegavam ao grupo de Naesen.



Até ao final, nada se alterou, com Kragh Andersen a conseguir uma grande vitória, melhorando o 2º lugar da temporada passada. A 25 segundos, Terpstra conseguiu sprintar para o 2º lugar, à frente de Cosnefroy, com Naesen a liderar o sprint pelo 4º lugar a já 1:14. José Gonçalves fez uma excelente prova, terminando no 13º lugar.

, , , ,