Tadej Pogacar deslumbra aos 20 anos e vence etapa épica

Dia de muita montanha em Andorra, uma etapa curta e explosiva que prometia espectáculo, os trepadores queriam afastar Primoz Roglic antes do contra-relógio. Logo na primeira subida choveram ataques de todos os lados, no final dessa montanha Patrick Bevin e Mikel Bizkarra seguiam na frente com uma curta vantagem sobre um grupo de mais de 30 unidades (com Soler, Latour, Fuglsang, Higuita, De Gendt, Nieve, Poels, Tao Hart, Kuss, Guerreiro, Kelderman, Herrada, entre muitos outros) e quase 2 minutos sobre o pelotão liderado pela Cofidis de Nicolas Edet.




O duo dianteiro foi apanhado na descida, que também serviu para alargar a vantagem para o pelotão, à entrada dos 50 kms finais era já de 4 minutos com a Movistar a assumir a frente do pelotão. O grupo principal ficou reduzido a cerca de 20 ciclistas, com a Astana também a dar uma mãozinha, na frente Bouchard e Hart atacaram enquanto a Sunweb procurava levar Kelderman o mais confortável possível subida acima.

Esteban Chaves teve problemas mecânicos, Fabio Aru estava a passar um dia mau e já perto do topo cedeu o camisola vermelha Nicolas Edet. Bouchard cruzou a montanha na frente e alargou a vantagem na descida, viria a entrar nos 20 quilómetros finais com 1:20 sobre o grupo perseguidor e 4 minutos sobre o grupo dos favoritos, sempre liderado pela Astana. Foi nessa altura que surgiu o grande ataque de Miguel Angel Lopez, à primeira ainda acompanhado pelos seus rivais, depois sozinho.




Astana, Movistar e Jumbo-Visma mandaram recuar todos os ciclistas que tinham na frente para ajudar nesta batalha com os líderes da Movistar a atacarem inexplicavelmente à vez em vez de minimizarem perdas para Lopez. Tao Hart e Ben O’Connor chegaram à frente e deixaram Bouchard para trás e já na subida final isolou-se Marc Soler, com uma grande recuperação. Lopez caiu na parte de sterrato, perdendo tempo e magoando-se. Aí Valverde e Quintana atacaram em conjunto, fazendo a ponte para Miguel Angel Lopez, Roglic tentava estancar a hemorragia sozinho.

Lopez estava em quebra, Quintana e Pogacar atacaram e foram-se embora e Soler mostrou bem a sua frustração quando teve de esperar por Quintana, foi nessa altura que Pogacar acelerou e ganhou alguns metros. O esloveno seguiu para uma soberba vitória, terminando 22 segundos à frente de Quintana e 47 diante de Roglic e Valverde, com Lopez a perder mais de 1 minuto. Nairo Quintana lidera agora com uma curta vantagem sobre Roglic, Valverde e Lopez, Pogacar recuperou e está a menos de 2 minutos.

O melhor ciclista português na jornada de hoje foi Ruben Guerreiro, ao terminar na 25ª posição.




, , , , , , , , , , ,