Andrea Bagioli, mais um Deceuninck-QuickStep a vencer em 2021

O ciclismo continuou por França com mais uma edição da Royal Bernard Drome Classic, uma clássica que contava com grande parte do pelotão que esteve ontem na Classic Faun-Ardeche. Um percurso igualmente duro mas que favorecia mais os puncheurs.



Yoann Piallot, Samuel Leroux, Mathijs Paasschens e Reto Müller aproveitaram a primeira fase da corrida para mostrar as cores e nomes dos seus patrocinadores. Groupama-FDJ e Deceuninck-QuickStep foram as equipas que mais trabalharam no pelotão e a cerca 25 quilómetros do fim já não havia escapada.

Faltavam, ainda, três duras subidas e os ataques apareceram por parte de Dries Devenyns, Jakob Fuglsang, David Gaudu, Warren Barguil e Remi Cavagna mas nenhum deles conseguiu uma larga vantagem para o pelotão. Foi já na derradeira subida, o Mur d’Edurre (700 metros a 8,9%), que aconteceu a movimentação decisiva. Após ataques dos seus companheiros da Deceuninck-QuickStep, Andrea Bagioli saiu que nem uma flecha do grupo principal. David Gaudu e Aleksandr Vlasov tentaram responder mas era impossível.




Muito rápido até à meta, restavam 3 quilómetros em fase de descida/plano, o jovem italiano de 21 anos pedalou para o primeiro triunfo do ano, conseguindo ser o 3º ciclista da Deceuninck-QuickStep a vencer em 2021. Atrás de si, a 11 segundos, chegou um grande grupo com Daryl Impey a bater Mikkel Honoré na luta pelo 2º lugar. Rui Costa e os gémeos Rui e Ivo Oliveira tiveram prestações discretas.

, , , , , , ,