Antevisão da De Brabantse Pijl

Fazendo a transição entre as clássicas do empedrado e as clássicas das Ardenas temos então a Brabantse Pijl, uma prova muito dura e que costuma oferecer muito espectáculo.

 

Percurso

Up and down, sobe e desce, é o lema deste traçado. Com um total de 29 subidas, esta é a forma perfeita de preparar a dura semana das Ardenas que se avizinha.




Já depois de 14 pequenas colinas que servirão para aquecer os motores, a corrida entra no circuito final a partir do quilómetro 115. O circuito é composto por 4 subidas, o Holstheide (500 metros a 6,2%), o IJskelderlaan (300 metros a 6,9%), o Schavei (700 metros a 3,6%, é nesta subida, um pouco mais acima, onde acaba a corrida) e o Herstraat (700 metros a 3,3%)

Com a penúltima subida a 4,5 kms do final e o último quilómetro a subir podia-se pensar que a prova costuma ser resolvida aqui, mas muitas vezes não é assim. Com grandes figuras e pouco a perder, geralmente a corrida é aberto de longe, com ataques importantes.

Tácticas

Nos últimos 6 anos ganharam Peter Sagan, Philippe Gilbert, Ben Hermans, Petr Vakoc, Sonny Colbrelli e Tim Wellens, um elenco de luxo, mas nem por isso o nível da prova baixou este ano, há inúmeros pesos pesados aqui presentes, que querem marcar uma posição para o que se avizinha.

É importante ir introduzindo ciclistas nos grupos que ataquem e para isso é preciso ter números numa corrida muito difícil de controlar, um bloco sólido é imprescindível. Olhando para o alinhamento parece-nos que a corrida passará um pouco pelo que Deceuninck-Quick Step e Lotto-Soudal farão. Para além de terem fortes candidatos, têm alguns nomes secundários de muita qualidade e sabem correr nestas estradas.

Favoritos

Julian Alaphilippe – Seria impossível não estar nesta categoria, o francês parece estar intocável nas colinas este ano. A grande questão que se coloca é se estará recuperado da queda sofrida na Volta a Catalunha, há 6 dias. Caso as mazelas estejam curadas tem tudo para ganhar, a condição física está lá e uma excelente equipa também.




Michael Matthews – Depois de, mais uma vez, muitos problemas no início da temporada Michael Matthews está a regressar ao seu melhor nível. O que fez na Milano-SanRemo quando estava sem ritmo competitivo mostrou bem o que o australiano é capaz. Muito talentoso, este é o seu terreno predilecto, já fez pódio aqui por 2 vezes.

Outsiders

Tim Wellens – Fenomenal neste tipo de terreno, o experiente belga ganhou aqui em 2018 e foi 4º em 2017. Com a orografia a dificultar perseguições, muitas vezes correr da frente é uma vantagem e Wellens habituou-nos a isso. No entanto, terá de chegar sozinho caso queira ganhar, estão aqui bons finalizadores e Wellens não pode esperar.

Mathieu van der Poel – Mais um teste importante para a estrela do ciclo-crosse, após demonstrar a sua capacidade com o 4º lugar no Tour of Flandres. O actual campeão holandês tem o hábito de arriscar e atacar de longe, o que pode ser bom, e neste pelotão pode encontrar aliados. Depois a sua explosão pode fazer o resto, em chegadas parecidas já arrasou os seus oponentes.




Odd Christian Eiking – Sim, por vezes gostamos de arriscar e esta é uma dessas ocasiões. Será complicado para Eiking surpreender as equipas do World Tour, mas o inconstante norueguês parece finalmente ter encontrado o seu espaço na Wanty. O que fez na Volta a Catalunha (15º) e no Giro di Sicilia (12º a trabalhar para Guillaume Martin) foi muito impressionante e este é o seu terreno.

Possíveis surpresas

Nenhum dos chefes de fila da Bahrain-Merida parece em grande forma, apesar do traçado ser bom para eles, Dylan Teuns está de regresso a estradas belgas enquanto que Sonny Colbrelli já foi feliz aqui e tentará repetir o feito. Jonathan Hivert é um pouco como Eiking, um ciclista hit or miss. Ganhou de forma impressionante o Gran Premio Miguel Indurain, mas tanto pode vencer como ser último. Daryl Impey será a opção da Mitchelton-Scott, veremos se o sul-africano aguenta a forma de Janeiro e Fevereiro. Simon Clarke e Alberto Bettiol encabeçam uma EF Education First muito motivada depois do triunfo de Bettiol no Tour of Flandres, sem pressão podem surpreender. Enrico Gasparotto e Roman Kreuziger tentem aqui iniciar uma campanha das Ardenas que só pode ser melhor que nas Clássicas do Norte. Na Team Sunweb também Soren Kragh Andersen e Marc Hirschi são perigos, 2 jovens talentos que se podem infiltrar nos ataques de longe. Por fim atenção a Dries van Gestel, Anthony Perez, Guillaume Martin e Ben Hermans.

Super-Jokers

Os nossos Super-Jokers são: Rui Costa e Giovanni Visconti.

Tips do dia

Tim Wellens melhor que Dylan Teuns a 1.55 (stake 2)

Michael Matthews melhor que Sonny Colbrelli a 1.5 (stake 2)

Voltamos a deixar aqui o link do canal Telegram (aplicação que se pode baixar na PlayStore), onde lançaremos live tips durante as etapas caso achemos pertinente. Também outras provas que não tenham acompanhamento na página poderam ter tips.

Link de acesso ao canal de apostas: https://t.me/joinchat/AAAAAEPNkd3AtPPJiZ6gUQ

 

Joguem no Zweeler e habilitem-se a prémios fantásticos (600 euros)!!!!

O Zweeler terá para a De Brabantse Pijl um jogo onde haverá pelo menos 600 euros de prémios, tentem a vossa sorte sempre com responsabilidade. Ao se registarem através deste link também nos estarão a ajudar!

Link para jogarem no jogo da Brabantse Pijl: https://pt.zweeler.com/game/cycling/FantasyDeBrabantsePijl2019/main.php?ref=716




, , , , , , ,