José Neves culmina corrida diabólica da W52-FC Porto com título nacional da estrada!

Último dia de Campeonatos Nacionais e hoje era tempo para a prova de elites masculinos. À partida não estiveram Tiago Antunes, Samuel Caldeira e Francisco Morais e estes 3 ciclistas não viram um início de corrida diabólico! A W52-FC Porto entrou disposta a dinamitar a corrida e, no início mais duro, viu Joni Brandão e Amaro Antunes destacarem-se.



As vantagens foram sempre muito curtas, o pelotão partiu-se por completo, chegaram a estar apenas 8 ciclistas na frente mas, após algum período de acalmia, vários grupos uniram-se. As tréguas duraram pouco, voltaram a existir muitas tentativas de fuga, muitas delas numerosas e, devido à presença de muita gente importante na frente (nomes como Francisco Campos, António Carvalho, César Fonte, Tiago Machado, Iuri Leitão, José Neves, Rui Oliveira e João Almeida).

A corrida começou a decidir-se já no circuito final de Castelo Branco. Primeiro foi João Rodrigues a atacar, sendo que depois se juntaram a ele mais 15 ciclistas, sendo eles José Neves, Amaro Antunes, Francisco Campos, Fábio Oliveira, David Livramento, Emanuel Duarte, César Fonte, Daniel Freitas, Gonçalo Carvalho, Hugo Nunes, Iuri Leitão, Gaspar Gonçalves, José Gonçalves, Nelson Oliveira e Rui Oliveira.



Sem ninguém na frente, teve que ser a Efapel a perseguir no pelotão, no entanto, apenas com 4 elementos a tarefa não se avizinhava fácil. Com a diferença em 1:35, a 35 quilómetros do fim surgiu a movimentação que viria a ser decisiva para o desfecho da corrida. José Neves atacava na fuga e seguia isolado para um novo contra-relógio.

O ciclista da W52-FC Porto abriu logo uma boa vantagem, entrando na última volta com praticamente 1 minuto de vantagem. Não existiram quebras e José Neves pedalou para o triunfo e para o título nacional de fundo, o primeiro título nacional da carreira em elites!



O grupo perseguidor chegou completamente fragmentado, fruto dos muitos ataques na tentativa de alcançar José Neves. A 47 segundos discutiram-se os restantes lugares do pódio, com Rui Oliveira a bater Gaspar Gonçalves na luta pela prata. O pelotão chegou a 7:12, numa corrida que foi de loucos do início ao fim.

Foto: FPC

, , , , , , ,