Matreirice e astúcia valem vitória a Michael Woods

O pelotão iniciou a segunda semana da Vuelta cheio de vontade, percorrendo praticamente 50 quilómetros na primeira hora de corrida. Remi Cavagna chegou a andar em solitário durante mais de meia hora mas foi alcançando ainda antes da subida para o Puerto de Orduña.




Aí choveram ataques! Depois de muitos ataques e contra-ataques e com a subida ultrapassada, ficavam na frente, nada mais, nada menos, que 36 ciclistas. Destaque para nomes como Rui Costa, Ivo Oliveira, Sepp Kuss, George Bennett, Alex Aranburu, Omard Fraile, Mikel Nieve, Michael Woods, Tim Wellens, Guillaume Martin e Alejandro Valverde.

Com Bennett, Nieve e Valverde muito bem posicionados na geral, a menos de 4 minutos, a INEOS Grenadiers não teve descanso, obrigando a um trabalho árduo e contínuo na frente do pelotão, nunca dando mais de 2:45 de vantagem ao mini-pelotão que estava na frente.




Valverde tentou antecipar os ataques e, ainda na fase de plano antes da última subida do dia, o espanhol saiu da fuga com Dorian Godon e Stan Dewulf. Nunca tiveram muito espaço e, a 28 quilómetros do fim, no começo da mais uma ascensão ao Puerto de Orduña, só Godon restava na frente. O pelotão estava a 1:50 mas fracionado em vários grupos devido a bordures, numa descida.

O francês foi alcançado nas primeiras rampas, Victor Lafay ainda tentou a sua sorte, tal como Kuss e Valverde mas foi Michael Woods quem conseguiu distanciar-se do grupo. O canadiano saiu muito forte, passando no topo a 19 quilómetros da chegada, com 7 segundos para um grupo que tinha Fraile, Martin, Peters e Valverde, grupo esse que se vinha a juntar ainda antes do final da descida. O pelotão estava a praticamente 2 minutos e fora da luta.




Apesar da desunião evidente e dos ataques e contra-ataques constantes, o grupo só se desfez numa colina já à entrada do quilómetro final. Michael Woods lançou um forte ataque, fugindo para a vitória. O canadiano celebrava o 2º triunfo do ano, com 4 segundos de vantagem para Fraile e Valverde. Rui Costa era 6º, a 13 segundos, o primeiro do grupo perseguidor. O pelotão chegava a 56 segundos, liderado por Magnus Cort, e onde vinha Richard Carapaz que mantém a liderança da Vuelta.

, , , , , , , , , ,