CCC Team e Mitchelton-Scott com os primeiros campeões nacionais de 2019

Decorreram esta noite os primeiros campeonatos nacionais do ano, como já é habitual, na Oceânia. A Nova Zelândia foi a primeira e segue-se a Austrália dentro de uns dias, para sabermos os primeiros ciclistas que vão poder usar uma camisola distintiva durante a temporada.




No lado masculino, e num percurso de 40 quilómetros, foi esperada e incontestada a vitória de Patrick Bevin, ciclista que transita da BMC para a CCC Team em 2019. Um dos corredores que mais melhorou na arte do esforço individual ao longo dos últimos 2 anos, Bevin terminou em 50:45, menos 1:52 que Hamish Bond, com o último lugar do pódio a ficar para Hayden McCormick, a 2:04. George Bennett, da Team Jumbo-Visma ficou no 4º lugar, a 5 segundos do pódio. É o 2º título nacional de contrarrelógio da carreira de Patrick Bevin, depois do triunfo conquistado em 2016.

Nota ainda para a corrida de sub-23, ganha por James Fouché, ciclista que correu na Team Wiggins em 2018, sendo 2º na Clássica da Arrábida. O percurso foi o mesmo dos elites e Fouché terminou com 52:54, o mesmo registo do 4º classificado na prova de elites.




Nas senhoras, a vitória sorriu à ciclista da Mitchelton-Scott, Giorgia Williams. A jovem de 25 anos cumpriu os 20 quilómetros em 28 minutos e 51 segundos, relegando Rushlee Buchanan (retirada de competição no final de 2018) para 2ª a 11 segundos. Buchanan foi campeã em 2016, quebrando o domínio de Jaime Nielsen e Lunda Villumsen, mas Williams tinha ganho em 2018, neste mesmo percurso, e também na altura com uma margem muito reduzida, 14 segundos. O pódio ficou completo por Holly Edmondston, a 1:50.




, , , , ,