Anna van der Breggen completa palmarés com espectacular ataque a solo

O fim-de-semana, em Innsbruck, abriu com a prova de fundo de elites femininas, que no seu início foi bastante atacada, sem que uma fuga se formasse. Só passados 20 quilómetros é que Aurela Nerlo e Ana Cristina Sanabria Sanchez conseguiram ter liberdade para sair do pelotão e formar a fuga. Lotta Lepisto e Emma Cecilie Norsgaard Jorgensen tentaram fazer a ponte com a finlandesa a consegui-lo depois de muito esforço.




Estados Unidos e Holanda eram as seleções que mais trabalhavam, nunca dando mais de 3 minutos ao duo da frente. A 95 quilómetros do fim, uma das grandes favoritas Annemiek van Vleuten caía, reatando a corrida pouco depois.

Mal se entrou no circuito final, as dificuldades começaram logo a fazer mossa no pelotão, reduzindo bastante o grupo. Aí, tínhamos na frente Nerlo e Leppisto, sendo que o pelotão estava a menos de 1 minuto e onde atacavam Emilia Fahlin, Chantal Blaak e Elena Cecchini, mas sem sucesso. Passada a dificuldade, tínhamos na frente Leppisto, Guderzo, van Dijk e Jorgensen, com estas 3 a atacarem durante a subida.

Austrália e Canadá viram-se obrigadas a trabalhar, pois a vantagem passava já o minuto. A menos de 60 quilómetros do fim, estavam quase apanhadas e perto do final da grande dificuldade do circuito, Coryn Rivera atacava no pelotão e passava a ser a nova frente de corrida.




Os ataques continuaram e a campeã norte-americana recebeu a companhia de lena Pirrone, Ellen Van Dijk, Emilia Fahlin, Amanda Spratt e Malgorzata Jasinska. Com quase 1 minuto de vantagem, a Holanda viu que estava na hora de atacar e, a 42 quilómetros do fim, Anna van der Breggen saiu que nem uma fecha do pelotão, chegando rapidamente à frente, onde o seu ritmo infernal destruiu por completo o grupo, deixando-a isolada a 39 quilómetros da chegada.

No topo da subida, a vantagem de Breggen era já de 35 segundos para Amanda Spratt, com Rivera a ser 3ª a mais de 1 minuto. O pelotão estava a 1:45. Anna van der Breggen meteu um ritmo infernal, entrando para a última volta com 1:19 de vantagem para Spratt e 3:06 para um grupo onde estavam Rivera, Fahlin e Jasinka. Do pelotão, que estava já longe, saíam Karol-Ann Canuel, Tatiana Guderzo e Amy Pieters, que chegavam ao primeiro trio durante a subida. Aí, Guderzo deixou para trás todas as adversárias.




Anna van der Breggen teve tempo para tudo, já que chegou com uma vantagem enorme para Amanda Spratt. 3:42 foi a diferença entre a nova campeão do Mundo e a 2ª classificada. A veterana Tatiana Guderzo foi 3ª, a já 5:26. Fahlin liderou um grupo que chegou a 6:13, ficando em 4º. Sem imagens do pelotão, van Vleuten chegou com Pieters em 7º e 8º, festejando o título da sua compatriota. O primeiro “pelotão” chegou a já 7:17.




, , , , , ,