Antevisão da 12ª etapa da Vuelta

O País Basco continua a acolher a Vuelta com mais uma tirada complicada, com as duras subidas características desta região a estarem presentes.



 

 

Percurso

Uma etapa típica do País Basco e com chegada a Bilbao, praticamente 130 kms sem dificuldades de maior antes de uma parte final bem apimentada. Tudo começa a 35 kms da meta no Alto de Urrutzimendi (1,5 kms a 12,5), uma autêntica parede com estradas estreitas, que é logo seguida pelo Alto El Vivero, com 4,5 kms a 7,4%. É a subida mais longa e tem 1000 metros no meio a mais de 10%, é muito dura e a 25 kms do final pode haver ataques.

Seguem-se 15 quilómetros em ligeira descida para a primeira passagem por Bilbao, que coincide com o último sprint intermédio do dia. Depois há a 2ª parede da jornada, o Alto de Arraiz tem 2500 metros a uma média de 11%, mas com rampas de 18% e 19%, só mesmo os primeiros 500 metros são a menos de 10%.

 

Tácticas

Há que começar a olhar para a classificação geral e pensar onde é que os rivais de Roglic vão ganhar tempo, o esloveno chega à etapa 12 com quase 2 minutos de avanço para o 2º. A última etapa é plana e as jornadas 14, 17 e 19 são de média montanha também, uma média montanha mais suave e mais curta que esta. Portanto, para além desta jornada de Bilbao só há realisticamente mais 5 tiradas para os rivais de Roglic ganharem tempo.

Julgamos que isso essa motivação será a única razão que pode levar a que a fuga não vingue de novo. O percurso convida no final a uma atitude ofensiva e a Astana tem muitos ciclistas que conhecem bem esta zona e um Miguel Angel Lopez que voa na alta montanha, a Movistar também conhece bem o terreno e as subidas são boas para Valverde, podendo o espanhol ir às bonificações. Se as equipas dos favoritos não deixarem a fuga ganhar muito avanço esta pode ainda ser alcançada.



 

Favoritos

Ontem apontámos Pierre Latour mas esta é, definitivamente, uma etapa mais ao seu jeito, devido às subidas mais duras àquelas que foram passadas hoje. Já longe na geral terá liberdade, andou bem na primeira semana, com excepção do domingo, e vem em boa forma. Com pouca corrida esta temporada chegada fresco. É rápido em grupos restritos.

Se os favoritos discutirem a tirada, Alejandro Valverde pode sonhar com a segunda vitória. O campeão do Mundo está muito regular, a subir melhor que noutras temporadas e continua com uma ponta final muito rápida, pelo que poucos, ou mesmo ninguém se consegue aproximar de si.

 

Outsiders

A Astana pode apostar as suas fichas todas em Miguel Angel Lopez mas, tal como hoje, pode dar liberdade a um dos seus gregários e aí Omar Fraile salta à vista. Natural do País Basco, Fraile conhece estas estradas melhor que ninguém e sabe como poucos como fazer as subidas. Trepador razoável, tem uma boa ponta final.



A Team INEOS continua longe de vencer uma etapa e talvez amanhã seja o dia de Tao Geoghegan Hart voltar a tentar. O britânico parece estar a melhorar com o passar dos dias, cada vez a subir melhor e com vontade de atacar. Mostrou no Tour of the Alps que é rápido, um façanha desconhecida até tal data.

Sergio Higuita é uma aposta sólida para ambos os cenários. O colombiano é um jovem bastante talentoso e já mostrou que se consegue meter em fugas mas também discutir com os melhores este tipo de etapas. Já atrasado na geral, terá liberdade mas no pelotão também é dos melhores. É um ciclista muito rápido, basta ver o seu sprint na 2ª etapa.

 

Possíveis surpresas

A Euskadi-Murias ganhou hoje e porque não pensar em nova vitória desta vez com o seu líder Oscar Rodriguez? O espanhol procura um bom lugar na geral e, como está algo atrasado, terá que ganhar tempo neste tipo de fuga. Adora subidas íngremes. Mais uma vez, voltamos a deixar o nome de Jesus Herrada, um nome perfeito para este traçado e com uma vitória já no bolso corre com menos pressão, o que pode jogar a seu favor. Gianluca Brambilla, Niklas Eg, Daniel Martinez e Kilian Frankiny são alternativas, sendo bons trepadores com alguma velocidade em grupos restritos. Se os homens da geral lutarem pela vitória entre si, Primoz Roglic pode esfregar as mãos já que pode conseguir mais bonificações e vencer nova etapa, sendo uma das poucas ameaças a Valverde. Tadej Pogacar é mais um ciclista rápido. Nairo Quintana e Miguel Angel Lopez devem atacar na última dificuldade do dia mas para ganhar terão que chegar isolado.



 

Super-jokers

Os nossos super-jokers são James Knox e Sergio Samitier.

 

 

, , , , ,