Consumado o divórcio entre Miguel Angel Lopez e a Movistar

O que aconteceu na Vuelta envolvendo Miguel Angel Lopez e a Movistar foi das histórias mais surreais dos tempos recentes no ciclismo. Tudo o que aconteceu naquela etapa, a saída controversa da prova e as diferentes explicações que surgiram depois da etapa vieram alimentar um assunto já de si sumarento. De recordar que na altura explorámos esse assunto, podem ler aqui.




Entretanto adensaram-se os rumores, que se dividiam entre o colombiano ter condições para continuar ou não na Movistar, a incerteza reinava e as opiniões dividiam-se, até porque Lopez durante a época até foi um elemento importante em determinadas alturas na ajuda a Valverde e a Enric Mas, mostrando-se comprometido com a equipa. Ainda para mais, a renovação por 2 épocas consumou-se precisamente antes da Vuelta, recordando que quando o ciclista assinou foi apenas por 1 ano.


Ontem tornou-se oficial o divórcio iminente, a Movistar emitiu um comunicado onde se pode ler que Miguel Angel Lopez deixa de ser ciclista da Movistar a partir de 1 de Outubro, chegando a acordo mútuo para a rescisão do contrato. “A equipa agradece a Miguel Angel Lopez os esforços realizados e os resultados obtidos durante esta temporada e deseja-lhe muita sorte no futuro.”




Aqui claramente o factor desportivo ficou de lado e acreditamos que o próprio Lopez tenha feito muita força para sair. No final de contas estamos a falar do ciclismo mais vitorioso da Movistar em 2021, com 4 triunfos ao todo e de alguém que antes da etapa 20 da Vuelta estava em 3º da geral e até já tinha ganho 1 etapa na prova. De recordar que não é a primeira vez que dentro da equipa espanhola há alguma polémica quando têm ciclistas colombianos na chefia, olhe-se para o que aconteceu com Nairo Quintana.

E agora, por onde passa o futuro de Miguel Angel Lopez? O colombiano de 27 anos tem o seu regresso à Astana praticamente acertado e até surge a possibilidade de competir com as cores da equipa cazaque em Outubro, quando já não está veiculado com a Movistar. A Astana garantiu recentemente a sua continuidade, entrou tarde no mercado e procura desesperadamente um líder para as Grandes Voltas, Lopez encaixa-se neste papel, conhece a estrutura e terá liberdade para fazer praticamente o calendário que queira.

, , , , , ,