De ataque em ataque Tadej Pogacar mostra quem manda e ganha no Col du Portet

Numa chegada em alto bastante dura curiosamente tivemos uma fuga bastante mais débil do que em dias anteriores. Nenhuma equipa dos favoritos colocou corredores na frente, com a escapada a ter Anthony Turgis, Anthony Perez, Maxime Chevalier, Danny van Poppel, Lukas Postlberger e Dorian Godon. Este sexteto ainda conseguiu uma vantagem de 9 minutos, que começou a ser reduzida pela UAE Team Emirates, pela Israel Start-Up Nation e pela Arkea-Samsic.




No Peyressourde essa diferença diminuiu para cerca de 5 minutos, também graça ao tudo por tudo dado pela Arkea-Samsic, que depois de colocar Connor Swift ao trabalho, lançou Elie Gesbert ao ataque com Nairo Quintana, os 3 ciclistas da equipa ainda em prova estavam bem activos. Wout Poels e Pierre Latour acompanharam o duo da Arkea-Samsic, numa tentativa que durou pouco pois a UAE Team Emirates estava decidida a tentar ganhar a etapa com Tadej Pogacar.

Na segunda contagem de montanha Anthony Perez atacou na frente da corrida e passou isolado no topo da subida, recebendo a companhia de Dorian Godon mesmo antes do Col du Portet, entrando com o pelotão a quase 4 minutos. O corredor da Cofidis livrou-se do seu companheiro de escapada a 13 kms da meta, enquanto no grupo dos favoritos a UAE Team Emirates continuava a controlar e a aumentar progressivamente o ritmo, colocando em dificuldades Enric Mas e Guillaume Martin.




Perez só foi apanhado a 8 kms da meta, com o primeiro ataque de Tadej Pogacar. Se ainda houve alguma resposta na primeira vaga, apenas Vingegaard e Carapaz conseguiram acompanhar o 2º ataque. Pogacar e Vingegaard foram colaborando, com Rigoberto Uran a perder algum tempo, apesar da ajuda de Sergio Higuita.

O camisola amarela foi lançando ataque atrás de ataque, mas foi uma ofensiva de Carapaz que fez Vingegaard descolar. O equatoriano queria ganhar tempo na geral e bastou a Pogacar seguir na roda. O esloveno arrancou nos últimos 100 metros e rapidamente abriu espaço, terminando assim uma exibição a roçar a perfeição, não só dele, mas da UAE Team Emirates também. Vingegaard foi 2º e Carapaz 3º, com um David Gaudu em recuperação a ficar em 4º, já a mais de 1 minuto.

Do top 10 os mais prejudicados foram Enric Mas, Lutsenko e Guillaume Martin, enquanto Ruben Guerreiro ajudou a EF Education Nippo a fechar colectivamente muito cedo.

, , , , , , , , , , ,