Etapa diabólica termina com triunfo de Caicedo e rosa para João Almeida!

Ainda antes do início oficial da etapa, más notícias para Geraint Thomas com o britânico a cair, ficando um pouco mal tratado do seu lado esquerdo. Mal se deu o tiro de partida, a fuga formou-se com Matthew Holmes, Josip Rumac, Jonathan Caicedo, Lawson Craddock, Matthew Holmes, Victor Campenaerts, Mikkel Bjerg, Giovanni Visconti e Francesco Romano.



As intensões da Mitchelton-Scott eram claras e a equipa australiana colocou-se na frente do pelotão mantendo a diferença a rondar os 5 minutos. A cerca de 36 quilómetros do fim, a Trek-Segafredo também se chegava à frente, substituindo a equipa australiana e, poucos depois, Geraint Thomas cedia no pelotão, numa subida não categorizada.

A fuga entrava com 3:20 no início do Monte Etna e a própria dureza da subida fez a seleção natural na fuga com Visconti, Bjerg e Caicedo a ficarem na frente. No pelotão, Bora-Hansgrohe aparecia na frente, endurecendo, ainda mais, o ritmo no pelotão. Este ritmo causava muitos estragos no grupo, com Simon Yates também a ceder, a cerca de 9 quilómetros do final.



Jonathan Castroviejo abriu as hostilidades com o primeiro ataque, Harm Vanhoucke juntava-se ao espanhol, saindo de um grupo dos favoritos cada vez mais reduzido. Fuglsang tentou várias vezes mas foi Kelderman quem conseguiu sair do grupo dos favoritos a 3500 metros do fim, numa altura em que Caicedo já seguia em solitário.

A Trek-Segafredo voltou a endurecer, com Brambilla, e o ataque de Vincenzo Nibali aconteceu a pouco mais de 2 quilómetros do fim. Isto espevitou o grupo e surgiu o ataque de Fuglsang, que apenas levou consigo Pozzovivo, Nibali e Majka. Este grupo manteve-se junto até ao final mas já era tarde para apanhar Caicedo que, com um esforço incrível, conseguiu vencer no Monte Etna!



Visconti terminava a 21 segundos e Vanhoucke a 30. Kelderman ainda ganhou alguns segundos aos seus rivais, chegando a 39, 12 segundos à frente de Fuglsang, Majka, Nibali, Castroviejo e Pozzovivo. Kruijswijk chegou a 56, fechando o top-10. João Almeida fechava a 1:03, o que deixava na expectativas sobre vestir ou não a camisola rosa. Depois de algum tempo de esperar, o português era confirmado como o novo líder do Giro, escrevendo uma bela página na sua carreira e no ciclismo nacional! Os grandes derrotados do dia foram Simon Yates e Geraint Thomas, chegando a 4:22 e 12:20 respetivamente.

, , , , , , ,