Fabio Jakobsen vence renhido sprint e abre a contagem de 2023

Longa maratona na Vuelta a San Juan, dia acima de 200 quilómetros e com o calor a fazer-se sentir na Argentina, o que dificultou, ainda mais, a vida do pelotão. Ao contrário de ontem, hoje a fuga foi bastante numerosa, com mais de uma dezena de ciclistas, com destaque para a presença de Óscar Sevilla, Tomás Contte e Gerardo Tivani.



Sabendo do perigo de uma fuga numerosa, Soudal-QuickStep e BORA-hansgrohe assumiram, desde logo, o controlo do pelotão que, a menos de 20 quilómetros era alcançada. Num dia com poucas imagens televisivas, há a referir as tentativas de surpreender as equipas dos sprinters por intermédio de Manuele Tarozzi e Victor Ocampo, mas sempre sem sucesso.

A alta velocidade, e com o campeão do Mundo Remco Evenepoel no comando do grande grupo, o quilómetro final chegou, num ápice, para os ciclistas. Numa longa reta da meta, foi, novamente, Danny van Poppel a fazer um trabalho perfeito para Sam Bennett, só que desta vez o irlandês não mostrou a mesma superioridade. Fabio Jakobsen estava por perto e arrancou para a vitória, um triunfo que não foi fácil, já que Fernando Gaviria foi um muito perto 2º. Jon Aberasturi foi o surpreendente 3º, com Bennett a quedar-se pelo 4º posto.



Apesar do 4º lugar, Sam Bennett segue líder da Vuelta a San Juan, agora empatado em tempo com Fabio Jakobsen. Amanhã é expectável nova chegada ao sprint, no entanto as dificuldades perto da chegada podem afastar os sprinters mais puros da luta.

, , , , , , ,