Poderoso Luís Mendonça sprinta para a camisola amarela em Torres Vedras

O ciclismo nacional de estrada está de regresso, com o Troféu Joaquim Agostinho a definir-se como a última prova de preparação para a Volta a Portugal, que está já aí à porta. O primeiro dia de competição era uma ligação em torno de Torres Vedras, num percurso onde alguns homens rápidos poderiam discutir a vitória.



Vários ciclistas tentaram a sua sorte para integrar a fuga do dia nos primeiros quilómetros mas foi preciso esperar até ao quilómetro 30 para um numeroso grupo de 14 ciclistas ter liberdade por parte do pelotão.

Rafael Lourenço, César Fonte, João Rodrigues, Pablo Guerrero, Hugo Nunes, Daniel Silva, Julen Irizar, Garikoitz Bravo, Emerson Orente, António Ferreira, Miguel Salgueiro, Gaspar Gonçalves, Nuno Meireles e Diogo Narciso eram os aventureiros do dia, com o pelotão a nunca dar muita margem, pois sabia da perigosidade desta escapada.



Aos poucos a fuga foi-se reduzindo, com Hugo Nunes e Pablo Guerrero a serem os últimos resistentes, sendo apanhados pouco depois da 3ª passagem pela meta, a pouco mais de 30 quilómetros para a chegada. O grupo seguiu compacto até à última volta quando Kyle Murphy se lançou na ofensiva.

O ataque do norte-americano da Rally Cycling durou até aos 6 quilómetros finais, depois de mais uma forte perseguição da W52-FC Porto. Amaro Antunes tentou, logo, sair mas com resposta do pelotão. Foi a Efapel a assumir o pelotão na última passagem pela Serra da Vila, tentando endurecer, ao máximo, a corrida.



Apenas 20 ciclistas passaram a subida na frente e foi, a alta velocidade, que o grupo chegou à meta em Torres Vedras. Luís Mendonça apareceu na frente na reta da meta e, aproveitando o embalo da descida, lançou o seu sprint de longe. Logo aí, ganhou uma pequena vantagem que não mais foi fechada, conseguindo o triunfo na etapa. Daniel Mestre foi 2º e Daniel Freitas fechou o pódio.

Foto: FPC

, , , , , , , , ,