200 metros separaram Rui Oliveira do título mundial de Scratch

Começou hoje a participação portuguesa nos Mundiais de Pista, que estão a decorrer na Polónia, com a presença de Rui Oliveira na prova de Scratch. Rui Oliveira tinha ficado em 5º nos últimos Mundiais e estava com vontade de mais e melhor.




Antes da prova do ciclista luso destaque para o recorde mundial da Austrália na perseguição por equipas, a primeira selecção a conseguir baixar dos 3:49 nos 4 quilómetros do esforço colectivo. A prova de Scratch foi disputada a um ritmo alucinante, sendo concluída com uma média superior a 52 km/h.

Se durante grande parte da prova houve uma marcação cerrada e muito jogo táctico, a corrida abriu-se a cerca de 20 voltas da meta, quando um grupo de 4 nomes conceituados atacou e chegou a ter praticamente meia volta de vantagem sobre o pelotão. Rui Oliveira reagiu e juntamente com mais alguns ciclistas fez a ponte e colou quando faltava 10 voltas para o final.




Aproveitando o balanço e alguma hesitação, o português desferiu um forte ataque que durante muito tempo parecia que ia dar vitória e medalha de ouro nestes Mundiais. Rui Oliveira entrou na última volta ainda na frente, mas infelizmente foi engolido por vários corredores com uma fortíssima ponta final já nos últimos 100 metros, ficando ainda com a 5ª posição. O título foi para Sam Welsford, que pouco tempo antes tinha estado na equipa australiana de perseguição por equipas que quebrou o recorde mundial. A prata foi para o holandês Roy Eefting e o bronze para o neozelandês Thomas Sexton.

Amanhã é a vez de entrar em pista Ivo Oliveira na perseguição individual e Maria Martins no Omnium.




, , , , ,