Bernal arrisca, mas é Roglic quem petisca e vence de forma épica em Lagos de Covadonga!

Não seria uma etapa da Vuelta se não houvesse uma primeira hora de corrida de loucos. Só depois de uma primeira hora disputada acima dos 50 km/h e com tentativas sucessivas de fuga e o abandono de Kenny Elissonde é que a corrida se começou a definir de uma forma mais concreta. Foi apenas na contagem de 1ª categoria da Collada Llomena que uma fuga se formou definitivamente, com cerca de 30 elementos na frente.




Madrazo, Moniquet, Camargo e van Baarle chegaram a ter alguma vantagem mesmo dentro da fuga, mas David de la Cruz fez a ponte para a fuga e o trabalho de Matteo Trentin ajudou a fechar o espaço para o quarteto. No pelotão a Ineos-Grenadiers também acelerou muito o ritmo graças a Pavel Sivakov, reduzindo o grupo principal a cerca de 30 elementos. Nos últimos 2 kms da subida também Mikel Landa saltou do grupo principal e foi para a frente, enquanto o camisola vermelha Odd Eiking passava por dificuldades.

O norueguês conseguiu recolar na descida, numa altura em que a Ineos abdicava de colocar o ritmo e não queria arriscar nenhum incidente. Na fase mais plana o ritmo voltou a aumentar e o grupo perseguidor foi apanhado, ficando na frente apenas Olivier Le Gac, que tinha arriscado mais com a estrada molhada. A Ineos voltou à frente com Pidcock ao leme e Sivakov voltou a delapidar o grupo, com Eiking em grandes dificuldades.




Tudo culminou com um ataque kamikaze de Egan Bernal, ao qual Primoz Roglic respondeu muito bem. Miguel Angel Lopez ainda tentou juntar-se a este duo de luxo, acabando absorvido pelo grupo principal, liderado pela Bahrain. Na descida voltou a haver quedas, com Vlasov, Eikinh, Hirt, Verona e Henao entre as vítimas. Roglic e Bernal iam trabalhando bem e entraram em Lagos de Covadonga com 1:30 sobre o grupo perseguidor.

A 8 kms para a meta Bernal perdeu o contacto com Roglic, começando aí uma grande quebra e pouco depois atacou Miguel Angel Lopez no grupo perseguidor, com a companhia de Adam Yates e Sepp Kuss, os 3 anulados pelo ritmo da Bahrain. O esloveno manteve o ritmo até final e com uma superioridade enorme cruzou a meta com cerca de 1:30 para o grupo perseguidor, liderado pelo seu colega Sepp Kuss, logo seguido de Miguel Angel Lopez, um grupo que tinha apanhado Egan Bernal a 1 km da meta.

Roglic recuperou a camisola vermelha e tem agora uma vantagem enorme para os seus rivais, 2:22 para Mas e 3:11 para Lopez, que estarão já a pensar em defender o pódio.

, , , , , , , , , ,