Efapel e José Azevedo unem esforços e plantel já estará quase fechado

Sem grandes conferências de imprensa nem apresentações, José Azevedo tem vindo a revelar à imprensa nacional o seu projecto aos poucos, mais recentemente aos diários “O Jogo” e “Record”. O ex-ciclista e director geral da Katusha criou um clube de ciclismo de raíz, o Clube Ciclismo Kyklos Sport e o projecto está tão avançado que até já tem grande parte do plantel formado.




Para uma equipa ir para a estrada é sempre necessário patrocinadores e depois de terminar a ligação quase umbilical com o Clube Desportivo FullRacing, a Efapel decidiu unir esforços com o projecto de José Azevedo e continuar no ciclismo, agora noutra estrutura. O patrocínio é de médio prazo, sendo válido por 3 temporadas, e ao contrário do que Carlos Pereira fez ontem, José Azevedo não desvendou os valores de orçamento ao jornal “O Jogo”.

Um dos grandes objectivos é potenciar jovens talentos para depois darem o salto, com a possibilidade de passar para o escalão Profissional Continental em vista. Pelas palavras do director-geral da nova Efapel o calendário será muito mais activo no estrangeiro do que acontece actualmente com outras estruturas nacionais.




Em relação ao plantel, nesta temporada de estreia será constituído por cerca de 1 dezena de corredores e com nomes bem conhecidos do ciclismo nacional. Os mais experientes confirmaram a sua mudança ao “Record”, despedindo-se das correntes equipas. Joaquim Silva, recente vencedor do Grande Prémio Jornal de Notícias, e João Benta, 5º na Volta a Portugal de 2020 e 6º na mesma prova em 2018 e 2019, são os primeiros eleitos.

A juventude não poderia faltar e 2 corredores ainda novos e em destaque esta temporada foram Tiago Antunes e Gaspar Gonçalves, ambos a correr pela Tavfer-Measindot-Mortágua. Fábio Fernandes, campeão nacional sub-23 de contra-relógio vem da Efapel, e Pedro Andrade, campeão nacional sub-23 de estrada, regressa a Portugal. Rafael Silva, que este ano correu na Antarte-Feirense, será o principal sprinter de serviço e Francisco Guerreiro chega da Sicasal, um ciclista bastante completo.

Por falar em Sicasal, fala-se que o projecto sediado em Torres Vedras está a pensar concorrer a uma licença Continental e está em concorrência directa pela 10ª licença Continental com a Efapel, isto se nenhuma equipa Continental abdicar da sua licença. Sobre isso deverá haver novidades nas próximas semanas. Em declarações ao jornal “O Jogo”, José Azevedo revela que ainda quer contratar outro sprinter, para além de Rafael Silva, e que o 10º elemento depende das oportunidades que apareçam no mercado.



, , , , , , ,