Lennard Kamna finalmente dá à Bora-Hansgrohe o que a equipa tanto procurava

Ontem dissemos que a etapa de hoje era perfeita para uma fuga e o pelotão mostrou que sabia isso mesmo. A primeira hora foi frenética, metade dos ciclistas ainda em prova queria estar na frente e passado mais de 20 kms finalmente se destacaram Warren Barguil, Richard Carapaz, Carlos Verona, Sebastien Reichenbach, Julian Alaphilippe, Lennard Kamna, Quentin Pacher, Alberto Bettiol, Nicolas Roche, Winner Anancona, Matteo Trentin, Andrey Amador, Imanol Erviti, Chris Juul-Jensen e Daniel Oss.




No entanto ainda houve mais corredores a conseguirem fazer a ponte, nomeadamente Pavel Sivakov, Neilson Powless, Simon Geschke, Mikel Nieve, Tiesj Benoot, Casper Pedersen, Romain Sicard e Pierre Rolland. O pelotão acalmou e deixou a escapada ganhar muita vantagem e a etapa começou a decidir-se a 35 kms da meta, quando Quentin Pacher atacou. O grupo perseguidor demorou, mas lá se desfez, indo Alaphilippe, Carapaz, Kamna e Reichenbach à procura do francês.

Um forcing de Richard Carapaz deixou para trás primeiro Alaphilippe e depois Reichenbach, mas o equatoriano perdeu o contacto com Lennard Kamna mesmo nos últimos metros da subida. O alemão da Bora-Hansgrohe, melhor que rolador que Carapaz, rapidamente abriu uma diferença considerável e entrou na última subida com mais de 1 minuto de vantagem.




A vitória sorriu mesmo a Lennard Kamna, ele que já tinha sido 2º há uns dias, apenas atrás de Daniel Martinez. Richard Carapaz aguentou o 2º lugar e Sebastien Reichenbach completou o pódio. Entre os favoritos a UAE Team Emirates ainda forçou a barra, mas não houve grandes diferenças entre eles e Roglic mantém calmamente a amarela.

, , , , , , , , , ,