Mads Pedersen vence de forma categórica, após etapa muito atacada pela Jumbo-Visma

Um dia muito intenso na Noruega, com uma etapa de 160 quilómetros, cheia de ataques e muita indecisão até ao final. A fuga do dia apareceu logo após os três quilómetros percorridos, com cinco homens: Aaron Verwilst, Sébastien Grignard, Mads Rahbek, James Fouché e Xandres Vervloesem. Mais tarde, acabaria por juntar-se Anthon Charmig.

 



A 95 quilómetros do fim, a Jumbo-Visma começava a mexer na corrida, com Jonas Vingegaard a atacar, mas acabaria por ser alcançado. Seguiram-se múltiplos ataques da equipa Jumbo, com Tobias Foss, Chris Harper e George Bennett, na tentativa de “rebentar” com o grupo e deixar Ethan Hayter sem gregários de serviço. A 59 km da meta, foi mesmo Ethan Hayter a ter de fechar o espaço para Bennett e Vingegaard, porque estes seguiam embalados subida acima.

Harper e Bennett ainda voltariam a tentar, mas seriam depressa alcançados pelo grupo dos favoritos. Ethan contou com a ajuda preciosa de Castroviejo, Basso, Ben Swift e de Filippo Ganna, que ajudaram em momentos mais complicados. O líder da corrida mostrou-se sempre à altura dos acontecimentos, quando não eram os seus companheiros, acabava por assumir as despesas na frente. A 40 quilómetros do final, a fuga aguentava-se na frente, mas com uma vantagem inferior a um minuto.



Com tantos ataques, a fuga acabaria por ser apanhada, e Mike Teunissen, outro Jumbo-Visma, lançava-se para a frente da corrida. Era perseguido de perto pelo primeiro e segundo da geral, Hayter e Schelling, que estavam numa marcação apertada. Mads Pedersen não estava virado para as contas da geral e desferia um ataque potente a 20 quilómetros da chegada.

O dinamarquês, ex-campeão do mundo, foi alcançado a 9 quilómetros, acusando desgaste físico. A Trek-Segafredo tinha outra “lança” apontada à vitória e era a vez de Skjelmose. Mas chegava a hora de Filippo Ganna assumir a frente do grupo dos favoritos e não havia tréguas para ninguém.



À entrada do último quilómetro, Ganna liderava o grupo, mas a Trek aparecia atrás de si com Skjelmose e Mads Pedersen. Foi mesmo o líder da juventude a lançar o sprint de Mads Pedersen, que ainda teve pernas para superiorizar-se aos seus rivais, batendo Alexander Kristoff e Mike Teunissen. Este foi o terceiro triunfo do ano para Mads, depois de ter vencido a clássica Kuurne-Bruxelas-Kuurne e a segunda etapa da Volta à Dinamarca.

Hayter manteve a camisola de líder, com 15s de vantagem para Schelling e 25s para Mike Teunissen. Amanhã será corrida a última etapa da prova, com um percurso de 156,5 quilómetros até à cidade de Stavanger.

, , , , , , , ,