Magnus Cort aproveita trabalho da UAE e da Bike Exchange para bisar na Vuelta

Mais uma jornada de média montanha e mais um dia verdadeiramente louco na Volta a Espanha, algo característico desta corrida. Depois de praticamente 1h30 de corrida a todo o gás, com uma média superior a 50 kms/h finalmente se formou uma fuga do interesse das equipas dispostas a persegui-la.




Com MIkel Iturria, Chad Haga, Julen Amezqueta, Jetse Bol, Maxim van Gils, Stan Dewulf, Sander Armeé e Sebastian Berwick na frente não havia grandes ameaças para as formações que queriam disputar a etapa. E foi a UAE Team Emirates que mostrou essa intenção, controlando sempre o grupo de 8 unidades entre 1 minuto e 1:30. A intenção era levar Matteo Trentin a discutir a chegada num grupo reduzido.

A 55 kms da meta houve uma queda numa ligeira descida, ficando alguns dos grandes favoritos envolvidos, inclusivamente Primoz Roglic. O ritmo não baixou no pelotão, o que levou a uma perseguição de alguns quilómetros do esloveno, enquanto Nelson Oliveira e Dylan van Baarle foram dos que ficaram mais mal tratados devido à queda. A situação estabilizou na parte plana e o que restava da escapada entrou na última subida com uns meros 25 segundos para um pelotão já bem reduzido.




Da fuga destacou-se Maxim van Gils, que fez grande parte da subida isolado apesar da perseguição da UAE, que já só tinha Majka e David de la Cruz, alcançado a 3 kms do final da montanha. Foi aí que começaram os ataques, com Ciccone a ser o primeiro a mexer, seguido por Jay Vine e acompanhado mais tarde por Romain Bardet e Sergio Henao. O quarteto fez uma rápida descida e entrou nos 10 kms finais com 30 segundos de vantagem.

A Bike Exchange concentrou-se em redor de Matthews e mantinha a equipa quase toda no grupo principal e a diferença foi diminuindo paulatinamente, conseguindo juntar grupos a 1,5 kms da meta. Já dentro do quilómetro final a EF Education First surpreendeu, com um lançamento perfeito de Jens Keukeleire para Magnus Cort.

Abriu-se um espaço entre Bagioli, que seguia na roda de Cort, e Matthews, com o australiano a não ter capacidade para fechar o espaço e ainda sprintar. Bagioli bem tentou, mas não conseguiu ultrapassar o dinamarquês, que somou assim o seu 2º triunfo nesta Vuelta, com Matthews a fechar o pódio. Odd Eiking manteve a camisola vermelha e nenhum grande favorito perdeu tempo.

, , , , , , , , , , ,