Notícias do dia – 17/02/2021

Diego Ulissi está de volta aos treinos!

O ciclista italiano Diego Ulissi estava com a carreira em suspenso após ter sido detectado um problema cardíaco (inflamação do músculo cardíaco) em Dezembro, num teste de pré-epoca. Ulissi posteriormente ficou em repouso, e em Janeiro passou vários dias num hospital a fazer vários exames, incluindo uma biópsia cardíaca.



Hoje a UAE Team Emirates confirmou que “na biópsia verificou-se a ausência de arritmias de risco para o atleta, o que permitiu o regresso progressivo aos treinos. Em todo o caso, irá seguir-se um período de monitorização antes de se confirmar o regresso definitivo à competição.” O corredor de 31 anos tem contrato com a UAE Team Emirates até 2023 e conta com vários triunfos importantes na carreira, como por exemplo 8 etapas na Volta a Itália.

 

O impressionante treino de Richard Carapaz até aos 4800 metros de altitude!

Muitos ciclistas já iniciaram a sua temporada, no entanto esse não é o caso de Richard Carapaz. O equatoriano continua por casa a preparar a sua estreia em 2021 que deverá acontecer na Volta a Catalunha, a 22 de março. Ao estar no seu país, a altitude é sempre diferente, mas aquilo que Richard Carapaz fez num dos seus últimos treinos é algo monstruoso.



O campeão do Giro d’Italia 2019 pedalou a uma altitude de … 4800 metros! O seu treino foi feito nas estradas do vulcão Cotopaxi, o segundo ponto mais alto do Equador e, em termos de comparação, o Monte Teide, usado por muitos em estágio de pré-temporada, termina a 2356 metros de altitude. Para os mais curiosos, a sua equipa, INEOS Grenadiers, publicou algumas imagens do treino do seu pupilo no seu Instagram.

 

Esteban Chaves acredita que ainda pode ganhar … o Tour

O colombiano Esteban Chaves concedeu uma entrevista ao CyclingWeekly onde demonstra ainda bastante confiança apesar dos problemas físicos que o têm assolado desde 2016, ano em que fez 2º no Giro e 3º na Vuelta. A partir desse momento, e tirando alguns laivos de brilhantismo, Chaves tem sido bastante discreto no pelotão, ficando cedo para trás na maioria dos momentos de decisão, ainda na Vuelta 2020 ficou fora da luta a meio, acabando em 27º.



Em 2018 foi diagnosticado com o vírus de Epstein-Barr, que causa fadiga crónica, ainda assim mantém a confiança bem alta. “Eu ainda acredito que consigo e posso ganhar o Tour. Se não acreditasse não corria. Sei que tenho o talento e sei o que o meu corpo consegue fazer. Mais do que o corpo recuperar, preciso de recuperar a confiança e que a cabeça esteja onde deve estar. Fiz 31 anos há 1 mês, mas sinto-me como se tivesse 19 ou 21.” Veremos se o colombiano ainda é capaz de voltar ao seu melhor nível, mas neste momento parece altamente improvável que consiga lutar pelo Tour.

, , , , ,