Astana coloca quase toda a “carne no assador” para o Tour

Hoje decorreu a apresentação oficial da Astana – Premier Tech, e a equipa cazaque formalizou os 31 ciclistas que a vão representar em 2021. O plantel engordou em quantidade, mas perdeu um dos líderes (Miguel Angel Lopez), tendo também ganho bastante juventude, num relativo rejuvenescimento.




A Astana aproveitou para revelar o calendário previsto para os 4 grandes líderes da equipa, sendo 3 deles apostam no Tour: Jakob Fuglsang, Alexey Lutsenko e Ion Izagirre. O dinamarquês tem um calendário semelhante a anos anteriores, com um foco evidente nas clássicas das Ardenas, aproveitando também para discutir a Vuelta a Andaluzia, o Tirreno-Adriatico e a Volta ao País Basco. De notar ainda a presença do Tour of Flandres e da Volta a Suíça. No entanto, o foco de Fuglsang no Tour deverá estar em conquistar etapas e não na classificação geral, primeiro porque já viu que não está em condições de vencer Grandes Voltas, e segundo pois o grande objectivo são os Jogos Olímpicos em Tóquio.

Ion Izagirre terá uma agenda bem preenchida, o corredor basco irá começar por liderar a Astana na Volta à Comunidade Valenciana, Vuelta a Andaluzia e Paris-Nice, antes de ser mais uma opção bastante válida na Volta ao País Basco e nas clássicas das Ardenas. Irá terminar a preparação para o Tour no Criterium du Dauphine, sendo que o foco também estará na conquista de etapas na Grand Boucle.




Quanto a Alexey Lutsenko, o cazaque terá uma folha de encargos bem preenchida, começando no Tour de la Provence, passando pelo UAE Tour e Paris-Nice, antes de se focar nas clássicas (Milano-SanRemo e clássicas do empedrado com excepção do Paris-Roubaix. Esta é uma área onde Lutsenko tem evoluído a olhos vistos e até já fez top 5 numa Omloop. Posteriormente irá ajudar Fuglsang e Izagirre nas Ardenas antes de se concentrar na conquista de etapas em corridas como o Dauphine e o Tour. Lutsenko tem um instinto matador bem grande e o facto de ser muito completo dá-lhe bastantes opções.

Por fim, Aleksandr Vlasov (que se fala estar de saída em 2022 para a Ineos-Grenadiers) ficará encarregue de liderar a Astana na Volta a Itália, uma corrida que está a ficar com uma lista de participantes de luxo. Irá iniciar a temporada no Tour de la Provence, seguindo-se precisamente a Volta ao Algarve, o Paris-Nice e o Tour of the Alps. O russo será um dos nomes a ter em conta na Fóia e no Malhão, se a corrida sempre for para a frente na data prevista.





 

, , , , , , ,