Enrique Sanz finaliza o trabalho da Euskadi-Murias com vitória há muito procurada

Dia muito rápido na Volta a Portugal, com a primeira hora a ser percorrida a alta velocidade, fazendo-se cerca de 50 quilómetros. Várias foram as fugas, ma sempre sem sucesso. A segunda hora foi, igualmente, rápida, percorrendo-se quase 48 quilómetros. Na contagem de montanha do Alto de Covide, onde David Rodrigues foi 1º, o pelotão fracionou-se, ficando 22 ciclistas na frente. O segundo grupo chegou a estar a 50 segundos, devido ao trabalho do Sporting/Tavira e do Aviludo-Louletano.

No grupo perseguidor, Euskadi-Murias e Team Coop trabalhavam e depois receberam a ajuda do Aviludo-Louletano, uma vez que Vicente de Mateos furava e ficava para trás. Desta forma, os dois grupos voltaram a juntar-se. A cerca de 50 quilómetros, saiam do pelotão Danilo Celano, David Rodrigues, Brno Silva e João Matias. Na frente do pelotão, trabalhou sempre a W52-FC Porto, que nunca deu mais de 2:35 de vantagem.

A 25 quilómetros do fim, Israel Cycling Academy e Euskadi-Murias pegaram na corrida, começando a reduzir a diferença. Estas equipas conseguiram anular a fuga que à entrada da subida do Monte de Santa Luzia, a 4 quilómetros da chegada, era alcançada.

Foi a W52-FC Porto a entrar na frente e fazendo praticamente a subida toda na frente, com Ricardo Mestre a imprimir um ritmo muito forte, enfilando o pelotão. Um pouco antes do quilómetro final, foi João Rodrigues a pegar na corrida, com Raul Alarcon na sua roda. O algarvio abriu para o lado e ficaram os favoritos na frente. Raul Alarcon assumiu o grupo e no técnico final, Enrique Sanz estava na roda certa e quando viu que estava na hora, arrancou para a primeira vitória da temporada. O basco foi o mais forte ao sprint, à frente de Daniel Mestre e Raul Alarcon. Na classificação geral, não existiram alterações.

 Nino Niederreiter Authentic Jersey hogan outlet

, , , , , , ,