Etapa e liderança do Tour Down Under para Rohan Dennis em dia de azar para Michael Matthews

Depois de uma etapa para os sprinters, que colocou fora da competição Jordi Meeus, Chris Harper, Conor Leahy e Graeme Frislie, o dia de hoje trazia mais dificuldades, o que poderia colocar em jogo a classificação geral, tudo iria depender da vontade dos homens da geral. O vento também marcou presença e colocava o pelotão ainda mais nervoso. A fuga demorou a formar-se, após o primeiro sprint intermédio ainda não estava estabelecida e de notar que Michael Matthews tinha bonificado mais 1 segundo.

Só com mais de 40 quilómetros percorridos é que Manuele Boaro e Johan Jacobs tiveram permissão para sair, no entanto a aventura de ambos não durou muito, já que, pouco depois, as bordures partiam o pelotão e faziam com que o ritmo aumentasse e o duo da frente fosse apanhado. Passava-se por novo sprint intermédio, com Corbin Strong a bonificar 3 segundos, à frente de Matthews e Bettiol.



O vento voltava a diminuir, a velocidade do pelotão idem e os grupos voltavam a juntar-se mais à frente. A corrida voltava a animar a 22 quilómetros do fim, na passagem por Nettle Hill, a grande dificuldade do dia. Logo a abrir aconteceu um dos momentos do dia, com Matthews a ter um problema mecânico (a corrente saiu) e a ser obrigado a trocar de bicicleta. Precisamente ao mesmo tempo, na frente do pelotão, Jay Vine lançava o seu ataque.

O australiano da UAE Team Emirates teve resposta de Simon Yates, com Rohan Dennis, Mauro Schmid e Jai Hindley a fazerem a ponte até ao topo da subida. Sem a colaboração de Yates, o grupo entendeu-se bem e foi alargando a vantagem para um pelotão já reduzido, onde Bahrain, Trek, Israel, INEOS e AG2R tentavam fechar o espaço. A 11 quilómetros da chegada outro momento importante, numa curta subida, Bettiol sofreu de caibras fortes e cedia no pelotão. Nesta altura, o grupo da frente tinha 45 segundos de vantagem.



Até ao quilómetro final, o grupo não se desfez e, com uma vantagem já sólida, Hindley tentou surpreender. A certo ponto parecia que o australiano iria poderia vencer, só que Dennis não estava para cantigas e a 500 metros do fim desferiu um forte ataque. O ciclista da Jumbo-Visma arrancou forte e só o apanharam depois da meta. Vitória em etapa para Dennis, com corte de tempo para todos, e subida à liderança da geral!

A 2 segundos, Vine foi 2º e Schmid 3º. O pelotão chegou a 11 segundos e, irremediavelmente fora da luta, Matthews terminou a 2:13. Na geral, Dennis tem 3 segundos de vantagem para Vine. André Carvalho foi 116º a 7:40.

, , , , , , , ,