O Tópico do Adeus – Parte VIII

2020 marcou o final da carreira de Hugo Sancho, uma longa carreira de um bom trepador, que esteve muitos anos na LA. 2019 foi uma época marcante, esteve próximo da vitória em etapa na Volta a Portugal, próximo do top-10 e próximo de ganhar a classificação da montanha.

  • Anos como profissional: 12 temporadas, com passagens pelo Benfica (2007-2008), LA Aluminios-Antarte (2011-2017), Vito-Feirense-Blackjack (2018) e Miranda Mortágua (2019-2020);
  • Nº de vitórias: 1, ganhou o G.P. Mortágua em 2016;
  • Melhor temporada: 2019, para além do desempenho da Volta a Portugal foi 9º no G.P. Abimota, 13º no G.P. Torres Vedras e 3º no G.P. Mortágua;
  • Total de kms em corrida: 43 330 kms segundo o site First Cycling;
  • Corrida em que mais vezes participou: Correu por 12 ocasiões no G.P. Torres Vedras.





Apenas aos 22 anos Daniel Silva termina a carreira depois da primeira temporada como profissional no Aviludo-Louletano. A época foi complicada, apenas 4 dias de competição e fracturou a clavícula numa queda a treinar em Junho.

  • Anos como profissional: 1, no Aviludo-Louletano;
  • Nº de vitórias: 0 como profissional;
  • Melhor temporada: Esteve bem em 2019 ao serviço da Sicasal, foi 2º no G.P. Portimão e top 10 em algumas classificações da juventude;
  • Total de kms em corrida: 2036 kms segundo o site First Cycling;
  • Corrida em que mais vezes participou: Fez o G.P. Torres Vedras, a Clássica Aldeias do Xisto e a Clássica da Arrábida todas por duas ocasiões.

Representou a selecção nacional nas camadas jovens, foi protagonista na Volta ao Algarve e na Volta a Portugal graças à sua combatividade. Aos 25 anos David Ribeiro deixa a modalidade e falou disso num documentário onde deixa algumas considerações interessantes e reflecte sobre a sua carreira

  • Anos como profissional: 3 temporadas na LA Alumínios;
  • Nº de vitórias: Nenhuma enquanto profissional, mas foi medalhado em campeonatos sub-23;
  • Melhor temporada: Em 2019, com a equipa ainda em clara construção deu nas vistas na Volta a Portugal e na Volta ao Algarve envergando a camisola da montanha, participando em algumas fugas;
  • Total de kms em corrida: 16 650 kms segundo o site First Cycling;
  • Corrida em que mais vezes participou: Fez a Volta ao Alentejo e a Volta a Portugal do Futuro por 4 vezes.





Artur Chaves representou a Miranda-Mortágua e também é bastante jovem (21 anos). Deixa o ciclismo para se dedicar ao curso de Engenharia Mecânica depois de 3 temporadas como profissional

  • Anos como profissional: 3 temporadas, sempre na Miranda-Mortágua;
  • Nº de vitórias: 0 como profissional;
  • Melhor temporada: 2019, onde mais colaborou para a equipa;
  • Total de kms em corrida: 0 segundo o site First Cycling, mas completou 4 etapas da Volta a Portugal do Futuro, sendo que não competiu muito principalmente devido a lesões.

 

Oscar Hernández é o único não português desta lista. O espanhol de 28 anos fez as grande maioria da sua carreira em Portugal, sempre pela mesma equipa. Um corredor fiável em qualquer tipo de terreno.

  • Anos como profissional: 5 épocas, em 2016 na Massi-Kuwait e de 2017 a 2020 no Louletano;
  • Nº de vitórias: 1, no Troféu Joaquim Agostinho de 2018;
  • Melhor temporada: 2018, uma excelente época globalmente, para além da referida vitória foi 8° na geral da prova, 9° na Volta ao Alentejo, 5° na Clássica Aldeias do Xisto e 3° na Clássica da Arrábida;
  • Total de kms em corrida: 17 104 kms segundo o site First Cycling;
  • Corrida em que mais vezes participou: Participou na Volta ao Algarve e no Troféu Joaquim Agostinho por 4 vezes.




, , , , , , , ,