82ª edição da Volta a Portugal adiada para 2021, deverá haver edição especial em 2020

A PODIUM Events anunciou esta manhã o adiamento da 82ª edição da Volta a Portugal para 2021. A entidade organizadora da Volta a Portugal e a Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) dizem que a “decisão foi motivada pelo contexto de pandemia gerado pela Covid-19 que tornou inviável a realização este ano de um evento desta dimensão.”



No entanto, a prova que está prevista realizar entre 27 de Setembro e 5 de Outubro mantém-se, sendo uma edição especial da prova mais emblemática em Portugal. Uma edição encurtada, de 11 para 9 etapas, mas que já está a ser desenhada no papel há algum tempo, depois de um adiamento inicial.

Recordando um pouco como tudo aconteceu, a Volta a Portugal recebeu luz verde por parte da DGS para o evento se realizar, no entanto algumas Câmaras Municipais recusaram receber a prova, o que obrigou à alteração de planos. Posteriormente encontrou-se esta nova data no calendário e a FPC começou a assumir as rédeas da operação, até porque sabe o quão importante esta prova é para a sobrevivência das equipas nacionais.



Ou seja, não entremos em alarmismos e temos de ser pragmáticos. A frase mais importante do comunicado é esta: “a ser possível a realização do novo evento, este será da exclusiva responsabilidade da FPC e terá características distintas, constituindo uma Volta a Portugal – Edição Especial, pelo que não comprometerá a 82ª edição da Volta a Portugal Santander, que será realizada em 2021 nas datas habituais.”

Isto basicamente é a PODIUM a excluir-se da responsabilidade de realizar o evento, que será na mesma uma Volta a Portugal, em 2020, passando esse ónus para a FPC e isso teria de ser tornado público. Para além disso é preciso não esquecer que existem contratos assinados com Câmaras Municipais e patrocinadores, o objectivo será que esses contratos se mantenham em vigor para a 82ª edição da Volta a Portugal, a realizar-se em 2021, organizada pela PODIUM, como tem vindo a ser feito nos últimos anos.



Deste comunicado é a única coisa que se pode concluir e mais nada de substancial há a retirar. A última versão do calendário nacional mantém-se, os planos para realizar a Volta de 27 de Setembro a 5 de Outubro mantêm-se. Não há razões para alarmismos.

 

Foto: João Fonseca

, , , , ,