Amanhã ainda há uma mão cheia de provas interessantes, o que esperar?

A temporada de 2021 de ciclismo de estrada caminha a passos largos para o seu final e, amanhã, temos o último grande domingo de ciclismo da época. Itália, França e Grã-Bretanha receberão um total de quatro provas que, para muitos, irão marcar as últimas pedaladas oficias do ano.



Em Itália, o pelotão continuará pela região de Veneto, desta vez para a nova clássica, a Veneto Classic. Praticamente com o mesmo pelotão do Giro del Veneto, ganho por Xandro Meurisse na passada quarta-feira, o percurso é bastante mais duro. Tal como a maioria das clássicas transalpinas de Outono, o final será num circuito que contém duas curtas subidas muito inclinadas, com rampas acima dos 10%. Espera-se nova batalha entre a UAE Team Emirates, com Marc Hirschi, Alessandro Covi, Davide Formolo e Matteo Trentin, e Alexey Lutsenko, sem nunca esquecer Lorenzo Rota e Lorenzo Fortunato.

Mais acima no mapa da Europa, em França, não existirá uma mas sim duas provas! A Taça de França terá a sua decisão na Boucles de l’Aulne, mais uma prova com um percurso bastante ondulante e que tem um circuito final a ser percorrido por 8 vezes. O final é em ligeira subida, favorecendo os puncheurs, mas alguns dos nomes que estiveram na discussão do GP du Morbihan de hoje também podem andar por lá. Valentin Madouas, Lilian Calmejane, Bryan Coquard, Dorian Godon, Arne Marit e Elia Viviani são alguns dos candidatos. Dorian Godon parte na liderança da Taça de França, com 18 pontos de vantagem para Elia Viviani.



Um pouco mais para sul no território gaulês, na região de Les Herbies, teremos o Chrono des Nations. Esta é já uma tradicional prova de fecho de temporada, onde os contra-relogistas lutam, uma última vez, pelo triunfo. Serão 44500 metros de esforço, num percurso maioritariamente plano, mas que contem algumas pequenas dificuldades. Antigos campeões do mundo da especialidade, Tony Martin (2011 a 2013) e Vasil Kiryienka (2015 e 2016) já aqui venceram e o atual detentor do arco-íris Filippo Ganna era para estar presente, algo que não irá acontecer devido a uma queda num treino. Desta forma, o campeão europeu Stefan Kung e Remco Evenepoel são os grandes favoritos. Martin Toft Madsen é um outsider, já venceu esta prova em 2017 e 2018.

Por fim, e depois das provas de contra-relógio na quinta-feira, a Grã-Bretanha coroará o novo campeão nacional de fundo. O vencedor será definido em Lincoln, num circuito marcado pela subida final para a meta com 500 metros a praticamente 10%. Ben Swift é o campeão em título e tentará defender a camisola, sendo que Ethan Hayter parte como o maior candidato à vitória. Os Campeonatos Nacionais são sempre marcados por incerteza e por isso Connor Swift, Stephen Williams e James Shaw são corredores que chegam em boa forma.



Se a tarde é repleta de ciclismo de estrada, o início de noite na Europa terá como destaque a terceira prova da Taça do Mundo de Ciclocrosse, em Iowa. Será a derradeira competição nos Estados Unidos, antes do regresso ao velho Continente. Para os fãs de ciclismo, 17 de outubro será um dia recheado de provas e, mesmo que não sejam competições do World Tour, terão listas de participantes bastante interessantes, esperando-se muito espetáculo.

, , , , , , ,