Antevisão da 7ª etapa da Volta a Portugal – Edição Especial

Última etapa em linha desta Volta a Portugal e derradeira oportunidade para quem quer fazer diferenças antes do contra-relógio final. Quem vencerá este Setúbal?

 

Percurso

Penúltimo dia de competição e uma jornada a percorrer grande parte da Área Metropolitana de Lisboa, com início em Loures e final em Setúbal. O perfil não tem dificuldades de maior até à Serra da Arrábida, uma subida feita por patamares, primeiro 2,1 kms a 4,7%, depois 1,7 kms a 9,2% e os últimos 1500 metros têm 8,2% de inclinação média.



Segue-se uma descida muito rápida e pedalável até Setúbal, com um pequeno alto já bem perto da meta. Uma etapa muito semelhante foi feita em 2016 (vitória de Daniel Mestre, chegaram 28 ciclistas no grupo principal) e em 2017 (Alarcon atacou forte e ganhou 11 segundos aos restantes favoritos, um grupo de 10 elementos).

 

Favoritos

Esta será a última chance para a Miranda-Mortágua conseguir uma vitória de etapa, a equipa esteve próxima nos últimos 2 dias com Leangel Linarez e amanhã deposita as esperanças em Daniel Freitas, que está em grande forma, ainda não foi pior que 14º na competição e num cenário de sprint restrito é um forte candidato.



Luís Gomes também tem mostrado uma condição física incrível, depois do triunfo em Viana do Castelo tem apostado forte na classificação por pontos e tem essa classificação no bolso. Os patamares curtos e explosivos da Arrábida são perfeitos para as suas características e pode muito bem estar ao ataque.

 

Outsiders

Mauro Finetto já esteve em fuga e se não repetir a façanha é ciclista para apanhar na Serra da Arrábida, sabe que num grupo de 20 ciclistas dificilmente é o mais rápido e pode beneficiar de uma desorganização na perseguição.

Se Ricardo Mestre conseguir controlar toda a subida e Daniel Mestre for poupado, poderemos muito bem ter uma repetição de 2016, com o corredor da W52/FC Porto a ganhar depois de uma Volta a Portugal onde muito sacrificou em prol da equipa.



Delio Fernandez está dentro do top 10, mas quer tentar subir posições e pode beneficiar do jogo táctico entre as formações portuguesas. Se o espanhol da Nippo Delko atacar quem é que persegue? Uns metros de vantagem depois da descida podem ser perfeitamente suficientes.

 

Possíveis surpresas

Se Vicente de Mateos estiver recuperado do dia mau que teve no Alto da Torre é ciclista para estar na discussão da etapa, visto que tem uma boa ponta final e passa bem a montanha. Entre os corredores que vemos a atacar na última subida estão César Fonte, Simon Carr e Luís Fernandes. Atenção também a André Ramalho, o ciclista da LA Alumínios tem estado bem nos finais ao sprint e conhece muito bem este terreno. Caso chegue um grupo dos favoritos de 10 elementos será António Carvalho o mais rápido. Por fim, um cenário que consideramos plausível é João Rodrigues atacar na Serra da Arrábida para colocar os rivais em xeque, o vencedor de 2019 é quem tem menos a perder.



 

Super-Jokers

Os nossos Super-Jokers são: Rafael Silva e Gustavo Veloso.

, , , , , ,