Antevisão da prova de contra-relógio dos Campeonatos Nacionais 2021

Começa, amanhã, mais uma edição dos Campeonatos Nacionais de estrada, desta vez em Vila Velha de Ródão. A abrir, é tempo da luta contra o cronómetro. Quem sucederá a Ivo Oliveira?




Percurso

30500 metros é aquilo que os ciclistas terão pela frente, nunca percurso praticamente plano em torno de Campo de Feiras, em Vila Velha de Ródão. Um percurso simples, ideal para os puros especialistas.

 

Favoritos

João Almeida fará a sua estreia em campeonatos nacionais de elites e a expectativa é muito elevada. O ciclista da Quick Step já provou este ano que consegue andar perto dos melhores do Mundo em esforços individuais e terá aqui um teste interessante e importante para Tóquio.



Rafael Reis foi uma das sensações da Volta ao Algarve, esteve muito próximo de ganhar o contra-relógio e até bateu nesse dia Benjamin Thomas, que se sagrou campeão francês. Rafael Reis deve aparecer em grande forma, é um dos grandes objectivos do ano para ele, já para não falar que deverá estar mais predisposto a arriscar do que os seus rivais.

 

Outsiders

Nélson Oliveira tem 4 títulos de campeão nacional, sempre que participou, ganhou. Procura aqui envergar esta camisola pela 5ª vez, enquanto prepara o objectivo dos Jogos Olímpicos. A distância é boa para ele e pode beneficiar do facto de ser uma corrida de 1 dia, onde tem muita experiência, e do facto de estar a fazer uma preparação centrada no contra-relógio.

Uma das grandes questões da corrida é saber o que conseguirá fazer José Gonçalves aqui, um ex campeão nacional que até agora só tem 4 dias de competição em 2021, em Março e Abril. Estará o corredor da Delko capaz de lutar pela vitória?



José Neves tem tido um 2021 bastante consistente e de muita qualidade. Muitas vezes na luta directa pelo triunfo, a sua regularidade mostra crescimento. Já obteve títulos na categoria sub 23, é um bom especialista.

 

Possíveis surpresas

A lista de participantes não é muito extensa, terá apenas 13 ciclistas. Gaspar Gonçalves tem já algumas medalhas neste tipo de provas nos escalões inferiores e, só lhe faltando os elites a motivação deve ser muita, ele que vem de um bom resultado no GP Douro Internacional. António Carvalho preferia um percurso mais duro, no entanto não pode ser descartado, costuma aparecer sempre bem nos nacionais. Na W52-FC Porto, José Mendes, Ricardo Vilela e Jorge Magalhães são sempre dois corredores perigosos, defendem-se bem nestas provas e, em dia sim, são muito fortes.




, , , ,