Imparável João Almeida voa para 1° título nacional de elites

Um percurso de 30,5 kms com partida e chegada a Vila Velha de Ródão iria coroar novos campeões nacionais de contra-relógio, também graças às ausências forçadas de Guilherme Mota e Ivo Oliveira. A expectativa era muita para ver um duelo que à partida seria entre João Almeida, Nelson Oliveira e Rafael Reis, com José Neves e José Gonçalves à espreita, tal como mencionámos na nossa antevisão, e praticamente bateu tudo certo.




Aos 10 kms ainda estava tudo muito equilibrado, com os 3 primeiros separados por 6 segundos, mas foi entre o km 10 e o km 20 que João Almeida começou a disparar para o triunfo, abrindo uma vantagem de 30 segundos. Essa diferença só se foi dilatando, passando a 54 segundos na meta, a maior diferença entre 1º e 2º desde 2016. O 2º classificado foi Rafael Reis, confirmando as excelentes indicações na Volta ao Algarve, quando lutou pelo triunfo no contra-relógio.

Na luta pelo 3º lugar José Neves realizou uma excelente parte final, voltando a assinar uma excelente exibição, para ficar com o lugar mais baixo do pódio, a 1:13 de João Almeida. O registo incólume de Nelson Oliveira terminou hoje, com o ciclista da Movistar a ficar a 1:24 do vencedor. José Gonçalves regressou à competição com o 5º posto, mas já a 2:32 da frente, o que atesta bem o que se andou para ficar no pódio.

Entre os sub-23 a luta foi mais do que aguerrida, tanto que no ponto intermédio os 5 primeiros estavam separados por 14 segundos, o top 5 era por esta ordem Fábio Fernandes, Diogo Barbosa, André Domingues, Francisco Marques e Pedro Andrade, o que aumentou a emoção para a 2ª parte da prova.




Nos últimos 20 kms foi onde as maiores diferenças foram feitas. Depois do título obtido no escalão de juniores em 2020, Fábio Fernandes confirmou o melhor registo no intermédio e voou autenticamente nos últimos 2 terços, fazendo 39 minutos e 45 segundos, conquistando também assim o título de campeão nacional de contra-relógio nos sub-23, na sua 1ª temporada neste escalão.

Carlos Salgueiro fez uma excelente gestão do esforço e após ter perdido algum tempo na fase inicial, fez uma corrida de trás para a frente, ficando assim no 2º posto, a 24 segundos do ciclista da Efapel. A medalha de bronze ficou para um dos representantes da Axeon, os 40:40 de Diogo Barbosa valeram-lhe o 3º lugar, com Pedro Andrade logo atrás e André Domingues a fechar o top 5.

No lado feminino a corrida não teve a presença de Maria Martins, uma das fortes candidatas ao título, devido a problemas mecânicos. O caminho ficou mais aberto para outra ciclista que corre no estrangeiro, e que tem tido excelentes resultados. Falamos de Daniela Campos, a ciclista da Bizkaia-Durango tinha 30 segundos de vantagem no intermédio e na 2ª parte do contra-relógio voou para terminar com 1m27s sobre Ana Caramelo e 1m35 sobre Liliana Jesus.




Inês Trancoso era 2ª no ponto intermédio a 26 segundos de Daniela Campos, mas pagou caro na fase final e ficou no 4º posto, a 9 segundos do pódio. A jovem corredora consegue o seu primeiro título nacional aos 19 anos, um feito assinalável.

Fotos: FPCiclismo

, , , , , , , ,