Davide Ballerini dá mais uma à Deceuninck-QuickStep

Dia final da 77ª edição da Volta a Polónia, onde já não esteve Richard Carapaz que, depois da queda de ontem, preferiu prevenir e não arriscar ao alinhar no último dia. O início mais sinuoso levou à formação da fuga com Luke Rowe, Geoffrey Bouchard, Alexis Gougeard, Hugo Houle, James Whelan, Jos van Emden e Przemyslaw Kasperkiewicz.



Bora-Hansgrohe, Trek-Segafredo, Israel Start-Up Nation e Mitchelton-Scott queriam uma chegada ao sprint e nunca deram larga vantagem à fuga que, à entrada do circuito final de Cracóvia, a 12 quilómetros da chegada, estava somente com 20 segundos de vantagem. Uma volta passou-se e o pelotão já seguia compacto.

Tal como na última etapa com chegada ao sprint, foi a Trek-Segafredo a entrar na frente no quilómetro final, fazendo o lançamento para o seu sprinter, desta vez Jasper Stuyven. No entanto, o lançamento desta vez não foi perfeito pois Stuyven foi deixado na frente um pouco cedo demais. Pascal Ackermann arrancou forte, parecia que iria para o triunfo só que na sua roda vinha um rapidíssimo Davide Ballerini que, já dentro dos 100 metros finais, passou para a frente para conquistar o triunfo. Alberto Dainese fechou o pódio.



Este foi o primeiro triunfo do italiano no World Tour e o 3º da Deceuninck-QuickStep na Volta a Polónia, numa competição de diversos sentimentos. Remco Evenepoel sagrou-se o vencedor da competição, sendo acompanhado no pódio por Jakob Fuglsang e Simon Yates. Rui Costa chegou integrado no pelotão, acabando no 10º posto da geral.

, , , , , , , , ,