Dombrowski volta às vitórias e De Marchi veste de rosa em dia agridoce para os portugueses

Muita chuva e o surgimento das primeiras montanhas mais a sério neste Giro 2021 animaram esta 4ª etapa. Tal como escrevemos na antevisão, era possível que ninguém quisesse controlar a jornada e tivemos nova fuga a resultar e novo camisola rosa. Depois de alguns quilómetros de luta ficaram na frente Vendrame, Vervaeke, Tagliani, Venchiarutti, Tratnik, Fiorelli, Zana, Zoccarato, Edet, Serry, Dina, Gavazzi, Valter, Hermans, Taaramae, De Marchi, Oliveira, Juul-Jensen, Campenaerts, De Kort, Ghebreigzabier, Mosca, Conti e Dombrovski.




Teoricamente sem grandes ameaças na geral o pelotão deixou a escapada ganhar 7 minutos até que a Ineos-Grenadiers colocou os seus roladores a trabalhar, inclusivamente Filippo Ganna. A 65 kms da meta a Intermarche-Wanty-Gobert tentou algo parecido a ontem, com Taaramae e Hermans e levarem com eles Juul-Jensen e a abriremoi 39º fosso para a restante fuga.

Hermans sacrificou-se para Taaramae, enquanto no grupo perseguidor Alessandro de Marchi era dos mais inconformados com a situação. A Deceuninck-Quick Step assumiu o controlo do pelotão para os 50 kms finais, aumentando muito o ritmo graças a Mikkel Honoré e James Knox, enquanto o grupo perseguidor também se desfazia. A 20 kms da meta o duo dianteiro tinha 1:20 para o grupo perseguidor já bem mais curto e 6:20 para o pelotão, liderado pela Bahrain e já com 50 elementos no máximo.

Taaramae e Juul-Jensen entraram na última subida com 1 minuto sobre o grupo liderado por Nelson Oliveira. Mal a subida empinou começou Alessandro de Marchi a colocar ritmo e só Joe Dombrowski o conseguiu seguir, apanharam o duo dianteiro a 4 kms do final. No pelotão a Bahrain trabalhava, Ciccone atacava e João Almeida passava muitas dificuldades, tentando minimizar perdas.




Depois Dombrowski atacou e distanciou toda a gente, inclusivamente De Marchi, enquanto Mikel Landa abriu as hostilidades entre os favoritos e obrigou a resposta de Vlasov, Bernal e Carthy, colaborando entre eles para distanciar a concorrência. Dombrowski aguentou a carga de Alessandro de Marchi e assinou o seu regresso aos triunfos, quase 2 anos depois, o 4º da carreira e claramente o mais importante até agora.

Filippo Fiorelli foi 3º e entre os favoritos Landa, Carthy, Ciccone, Vlasov e Bernal ganharam 11 segundos aos concorrentes mais próximos, mais de 30 segundos para Bilbao, Soler, Hindley, Sivakov e Buchmann. João Almeida perdeu mais de 4 minutos para os rivais da geral e está agora muito atrasado, veremos se o ciclista português se vai focar agora na conquista de etapas. Nelson Oliveira acabou a etapa no 8º posto a 57 segundos da frente e é agora 4º na geral. Ruben Guerreiro foi 39º a 3:06 do vencedor.

 

, , , , , , , , ,