Fabio Jakobsen culmina trabalho de luxo da Deceuninck-QuickStep com novo triunfo

Dia final do Tour de Wallonie, uma etapa longuíssima com um final armadilhado, onde os homens da classificação geral precisavam de estar atentos para eventuais cortes. Sean Quinn, Jesper Hansen, Senne Leysen, Ward Vanhoof e Fumiyuki Beppu marcaram a fuga do dia, escapada que se manteve na frente até aos 13 quilómetros finais, altura em que o pelotão já estava no circuito final.



Nesse momento, iniciava-se a única subida do dia, o Cote de Rossignol e aí começaram os ataques. Tim Wellens lançava uma ofensiva e foi Quinn Simmons a responder. Vários corredores fizeram a ponte e tivemos novos ataques, desta vez com Lucas Eriksson e Rui Oliveira a saírem.

Este duo ganhou uma pequena vantagem mas atrás os interesses eram muitos pelo que os grupos voltavam a juntar-se a pouco mais de 3 quilómetros da chegada. Timo Roosen ainda tentou surpreender mas a Deceuninck-QuickStep estava já bem posicionada na frente. A equipa belga fez um trabalho fenomenal, entrou com vários corredores na frente no quilómetro final e tudo isto foi fundamental para o desfecho.



Florian Senechal fez um lançamento perfeito para Fabio Jakobsen que, no final, com “só” teve que fazer um sprint de 150 metros e, com relativa facilidade, conquistou o 2º triunfo na competição. Rudiger Selig foi 2º e Milan Menten 3º. Quinn Simmons chegou no pelotão e confirmou a vitória na classificação geral final do Tour de Wallonie.

, , , , , , ,