Kelly/Simoldes/UDO reforça cirurgicamente o bloco coeso de 2020

Na muito curta, demasiado curta, época de 2020, a Kelly/Simoldes/UDO foi das equipas mais em evidência. Com um colectivo sólido, teve em Luís Gomes a principal figura, tendo feito 2º no Troféu Joaquim Agostinho, e arrecadado 1 etapa e a classificação por pontos na Volta a Portugal, o melhor resultado de sempre para os comandados de Manuel Correia.




Para 2021 a ambição mantém-se e até é reforçada, visto que tanto Luís Gomes como Henrique Casimiro (já por 4 vezes fechou no top 10 da Volta a Portugal) renovaram com a equipa de Oliveira de Azeméis. E como se viu em 2020, todas as corridas que tenham subidas relativamente curtas são perfeitas para a explosão e ponta final de Luís Gomes.

A estes 2 ciclistas já bem experientes no pelotão nacional junta-se César Fonte, um corredor com características semelhantes às de Luís Gomes (um puncheur por natureza, sempre a ter em conta em chegadas com alguma inclinação) e que já ganhou etapas na Volta a Portugal, tendo imensos top 10/top 15 em provas internacionais em Espanha, em 2018 e 2019 representou a W52/FC Porto e em 2020 a Efapel, onde já tinha estado entre 2010 e 2013.




Depois manter-se-á parte da juventude que já é hábito das equipas de Manuel Correia e há muitas esperanças depositadas em Pedro Miguel Lopes, de 21 anos. Já aqui falámos deste ciclistas e ele este ano foi vice-campeão nacional sub-23 e 3º melhor jovem na Volta a Portugal, apenas atrás de Simon Carr e Matis Louvel. A própria equipa menciona que espera ser o ano de afirmação.

Haverá espaço de crescimento para José Sousa e Hélder Gonçalves, o primeiro nascido em 1999 e o segundo em 2000, sendo que José Sousa já completou a sua primeira Volta a Portugal este ano, ambos fizeram top 10 nos Nacionais de sub-23. Apesar da equipa perder alguns talentos, manterá o grande motor de Guilherme Mota, campeão nacional de contra-relógio nas categorias junior e sub-23, com vasta experiência internacional e que já fez top 20 em Europeus e Mundiais.

Em relação a reforços, o outro ciclista que está confirmado para além de César Fonte é João Salgado, ciclista de Guimarães que em 2020 representou a JV Perfis-Gondomar Cultural. Aos 21 anos regressa assim a uma formação Continental depois de ter estado em 2018 e 2019 na Rádio Popular Boavista. A confirmação foi dada pelo atleta ao Desportivo do Minho e o ciclista diz que “este era o principal objectivo que tinha no início da temporada e que pretende corresponder a tudo o que seja pedido e agradecer com muito trabalho.”




Segundo o jornal “O Jogo”, André Domingues, Fábio Costa e Rafael Lourenço estarão de saída, sendo que a permanência de Venceslau Fernandes ainda é uma dúvida.

, , , , , , ,