Mark Cavendish faz o poker no fecho da Volta a Turquia

Dia final da Volta a Turquia com tudo ainda em aberto, já que os dois primeiros classificados, José Manuel Diaz e Jay Vine estavam separados por apenas 1 segundo. Com um sprint intermédio logo no começo da jornada, os ataques foram muitos com a DELKO a estar muito ativa. Ninguém importante bonificou no sprint intermédio mas o pelotão não deu tréguas, já que o vento também se fazia notar.



Só algum tempo depois é que um grupo numeroso se formou com Delio Fernandez, Mirco Maestri, Davide Cimolai, Stijn Steels, Sean de Bie, Serghei Tvetcov e Willie Smit a serem alguns dos 10 corredores que estavam na frente. Com muitas equipas na frente, e com a presença de Fernandez os alarmes começaram a soar no pelotão.

Apenas com 4 elementos, a tarefa da Alpecin-Fenix não se avizinhava fácil mas com a ajuda da Androni Giocatolli e da Spor Toto a diferença foi começando a diminuir consideravelmente e, a 25 quilómetros do fim, só restava Smit na frente, ele que viria a receber a companhia de Francesco Gavazzi, Javier Romo, Kevin Rivera, Danilo Celano e Jhojan Garcia.



Na última subida categorizada da prova, ficaram na frente Romo, Celano e Garcia com uma curta vantagem para o pelotão. O trio ainda esteve na frente até aos 3 quilómetros finais, quando Anton Charming fez a junção e trouxe todo o pelotão consigo. Num final muito rápido, tal como ontem em descida, Jay Vine ainda caiu mas sem consequências graves.

A Uno-X apareceu no momento certo, Kristoffer Halvorsen foi o primeiro a lançar o sprint, Jasper Philipsen respondeu do outro lado da estrada mas na sua roda vinha Mark Cavendish que, com uns 50 metros finais diabólicos superou o belga da Alpecin-Fenix para conseguir a 4ª vitória na Volta a Turquia.



José Manuel Diaz aguentou todos os ataques e leva para casa a classificação geral, acompanhado no pódio por Jay Vine e Eduardo Sepulveda. Jasper Philipsen venceu a classificação por pontos e Vitaly Buts a montanha.

, , , , , , ,