Evenepoel com razões para sorrir na Volta a Suíça, Thomas completa remontada na geral

Dia final da Volta a Suíça, com o contra-relógio final a ser disputado no principado do Liechtenstein, mais concretamente na capital Vaduz. Sem Peter Sagan em prova, o eslovaco testou positivo à COVID-19 pela terceira vez em ano e meio, o pelotão de 79 ciclistas fez o seu esforço individual para terminar a competição.



Chad Haga e, principalmente, Dylan van Baarle marcaram os primeiros tempos de referência, com o neerlandês da INEOS Grenadiers a terminar com 29:31, um tempo que permaneceu no primeiro lugar até à chegada do inevitável Remco Evenepoel. O jovem belga completou o percurso em 28:26, menos 1 minuto e 5 segundos que Van Baarle!

Bob Jungels, Maximilian Schachmann, Felix Grosschartner e Daniel Felipe Martinez conseguiram registos bastante positivos no entanto não se conseguiam aproximar de Evenepoel que via em Stefan Kung o seu grande rival. O gigante suíço era 2 segundos melhor no ponto intermédio mas no final perdeu essa vantagem, terminando a 10 segundos.



Geraint Thomas partia com a missão da classificação geral e cumpriu-a na perfeição. O galês fez um contra-relógio ao nível de outros tempos, gastando apenas mais 3 segundos que Evenepoel. Sergio Higuita foi 11º a 1:17, conseguindo aguentar por 4 segundos o 2º lugar da classificação geral. O colombiano que partiu na liderança para o dia final defendeu-se de Jakob Fuglsang, que terminou em 9º a 1:02.

Nas classificações secundárias, Michael Matthews venceu os pontos, Quinn Simmons a montanha e Sergio Higuita saiu com a consolação da juventude. A BORA-Hansgrohe foi a melhor equipa.

, , , , , , , ,